Atletas de alto rendimento sujeitos a contra-teste da COVID-19 antes da retoma aos treinos

 Atletas de alto rendimento sujeitos a contra-teste da COVID-19 antes da retoma aos treinos

Os atletas de alto rendimento, treinadores e dirigentes das federações desportivas nacionais cujas modalidades estão na corrida aos Jogos Olímpicos serão submetidos a contra-teste de despite da COVID-19, para além de estarem proibidos de usar transporte semi-colectivo de passageiros nas deslocações aos locais de treino.

Estas medidas estão inseridas no protocolo sanitário que define as regras para que os atletas regressem aos treinos, no quadro das medidas de relaxamento anunciadas pelo Presidente da República, Filipe Nyusi.

Por forma a minimizar o risco decorrente da manutenção da actividade desportiva de alto rendimento, nas suas diferentes envolventes, a Secretaria de Estado do Desporto em coordenação com o Comité Olímpico de Moçambique e as Federações Desportivas Nacionais, ouvido o Ministério da Saúde (MISAU) determinam as seguintes regras que devem ser observadas para o cumprimento destas medidas excepcionais e temporárias.

 

REGRAS GERAIS

O documento a que tivemos acesso, refere que todos os intervenientes (atletas e oficiais) envolvidos, deverão ser testados, antes do início do processo de treinamento.

Obedecendo o protocolo em uso pelo MISAU, todos os intervenientes (atletas e oficiais) envolvidos, poderão ser testados, quinzenalmente ou logo que alguém apresente sintomalogia da doença durante o período do processo de treinamento.

Todos os materiais e equipamentos de treino deverão ser desinfectados, antes e depois dos treinos;

Dever-se-á evitar a realização de treinos em ambientes fechados, excepto se a modalidade não tiver outra alternativa, estando condicionado ao cumprimento do referido no ponto dois; sempre que os treinos decorrerem dentro de um espaço fechado, sugere-se a abertura de todas as janelas por forma a garantir a ventilação.


1.    Antes de cada sessão de treino, deverá ser medida a temperatura de todos os intervenientes;

2.    É obrigatória a lavagem/desinfecção de mãos, antes e depois do treino, devendo também ser feito no decurso do mesmo, durante as pausas.
6.1.    Nos locais de treino fechados deverão ser montados de dispensadores de álcool e colocados pé de lúvio (tapetes/toalhas embebidos em solução de hipoclorito) em todos os pontos de acesso.
6.2.    Em locais de treino abertos deverão ser colocados baldes de água com sabão para a lavagem das mãos, e se possível garantir álcool portátil para cada atleta.


3.    É obrigatório o uso de mascara, por parte de todos os agentes desportivos intervenientes no treino;
7.1.    Os atletas não deverão utilizar as mascaras durante a realização dos exercícios.


4.    Deve-se respeitar, sempre que possível, o distanciamento mínimo de 1.5m entre atletas, para actividades que se realizem lado-a-lado, ou de quatro metros, para actividades em fila;

5.    Entre os atletas e entre estes e os oficiais envolvidos no processo de treinamento, deve ser evitado contacto físico;

6.    Sempre que as condições no local de treinamento o permitirem, todos os intervenientes deverão fazer um banho, antes do início e no final do treino.
10.1.    Deve ser elaborado um plano de desinfecção dos locais/superfícies comuns (balneários, refeitório, áreas de treino, etc) de forma regular.


7.    Após o banho, as roupas trazidas de casa, devem ser guardadas em cacifos individuais.

8.    As roupas utilizadas no treino, tal como as mascaras usadas, deverão ser acondicionadas em sacos de plástico para serem lavadas em casa, postas a secar ao Sol e passadas a ferro, antes de nova utilização,

9.    O percurso de casa para o local de treino e respectivo regresso, deve ser feito com observância das medidas de prevenção, amplamente divulgadas pelas autoridades de Saúde.

10.    A deslocação da residência para os treinos e vice-versa deverá ser efectuado através de um transporte disponibilizado pela federação.
14.1.    É interdita a utlização de transportes colectivos públicos para quem se desloca para o treinamento.

11.    Todo o atleta que tiver resultado positivo deverá ser submetido a isolamento domiciliar/hospitalar dependendo do quadro clínico que apresentar e o mesmo só poderá se juntar aos restantes membros da equipe após a sua recuperação obedecendo o protocolo em uso pelo MISAU.

 

Regras Específicas por Modalidade

Considerando que cada modalidade tem as suas especificidades, são aconselhadas adaptações específicas, de forma a permitir a realização das actividades de treinamento, no estrito cumprimento das regras de prevenção.  

Assim, para cada modalidade desportiva são enunciados os seguintes procedimentos específicos:

 

Atletismo
1.    Todos os envolvidos deverão obrigatoriamente usar mascaras, durante o trajecto casa/treino/casa, e ao longo do treino;
2.    Todos os envolvidos deverão obrigatoriamente lavar as mãos com água e sabão ou desinfectar as mãos no local de actividade, na chegada e no final dos treinos e sempre que se mostre oportuno e necessário;
3.    Todo o material de treino, nomeadamente implementos e instrumentos de medição, deverão ser desinfectados no início e no final de cada sessão de treinamento;
4.    O vestuário dos atletas deverá ficar exposto ao sol durante o período de treinamento, isto é, a roupa usada durante a ida ao treino deve ser trocada antes do início e estendida ao sol, no local;
5.    Logo que termine uma sessão de treino, o equipamento (indumentária de treino) deverá ser recolhido para um saco de plástico, selado, lavado e secado ao Sol, logo que o atleta chegue a casa. Antes de nova utilização, deverá ser passado a ferro.

 

Boxe
1.    Observância da etiqueta de higienização das mãos e dos pés;
2.    Observância do distanciamento de pelo menos 1,5 a 2 metros entre os intervenientes;
Não é permitido qualquer tipo de actividade que consubstancie um contacto físico.
3.    É permitido, exclusivamente ao pessoal médico e paramédico, o contacto físico com os atletas e os demais, desde que observados todos os requisitos no âmbito do combate ao coronavírus.
4.    Durante a realização do treino, em ginásio, é permitida a presença de até três (3) elementos da equipa técnica.

 

Judo
1.    Todos os envolvidos deverão obrigatoriamente usar mascaras, durante o trajecto casa/treino/casa;
2.    Sempre que as condições no local de treinamento o permitirem, todos os intervenientes deverão fazer um banho, antes do início e no final do treino.
3.    Após o banho, as roupas vestidas de casa, devem ser guardadas em cacifos individuais,
4.    As roupas utilizadas no treino, tal como as mascaras usadas, deverão ser acondicionadas em sacos de plástico para serem lavadas em casa, postas a secar ao Sol e passadas a ferro, antes de nova utilização
5.    São permitidos apenas 6 atletas e dois treinadores, por cada sessão de  treino
6.    É obrigatório o uso de máscara durante o treino para todos os intervenientes;
7.    É compulsiva a desinfecção dos tatamis no início de treino, a cada intervalo de exercícios e no final do treino;
8.    É rigorosamente obrigatório o cumprimento do distanciamento de 2m, sendo 8m2, a área reservada por cada atleta;
Karate
1.    Colocação permanente de máscara facial;
2.    Medição temperatura, antes do início de cada sessão;
3.    Sempre que as condições no local de treinamento o permitirem, todos os intervenientes deverão fazer um banho, antes do início e no final do treino.
4.    Após o banho, as roupas vestidas de casa, devem ser guardadas em cacifos individuais,.
5.    As roupas utilizadas no treino, tal como as mascaras usadas, deverão ser acondicionadas em sacos de plástico para serem lavadas em casa, postas a secar ao Sol e passadas a ferro, antes de nova utilização
6.    O espaço, o material e as pessoas serão higienizados antes do treino;
7.    As máscaras serão trocadas tantas vezes quanto necessário, para garantir que durante a sessão de treino, estejam sempre em uso máscaras em condições;
8.    Após o treino, o local, o material e os intervenientes tornarão a ser higienizados.
9.    No decorrer dos treinos haverá uma delimitação clara de áreas, recorrendo para isso, aos tatami (tapetes) de diferentes cores de modo a manter o distanciamento social
10.    Para Kumite, os atletas não trabalharão emparelhados e não haverá “sparring” (combates de treino), de modo a manter o distanciamento social.

 

Natação
Medidas especificas a serem tomadas
1.    Segregação do espaço, demarcação e sinalização de áreas secas com uma ou mais áreas de desinfecção. A área de desinfecção deverá ser instalada logo à entrada, de modo a evitar qualquer passagem sem proceder com a devida higienização. Deverá ainda, estar demarcado o fluxo de pessoas com as orientações de entrada e saída, bem definidas, para evitar cruzamento de pessoas.
2.    Colocação de um “layout” informativo à entrada do recinto desportivo, com todas áreas claramente ilustradas e identificadas.
i.    Para além do “layout” referido neste ponto sugere-se a afixação de panfletos com mensagens-chave de medidas preventivas de COVID19.
3.    Um cesto deverá ser atribuído à cada atleta para guardamento de materiais, equipamentos e roupas, e deverá ser desinfectado sempre antes e depois de usado.
4.    Atribuição a cada atleta, 4 m2 de área de dryland para aquecimento, respeitando assim a distância recomendada de afastamento de 2 m/pessoa.
5.    O número máximo de atletas que poderão permanecer na piscina por período de treino dependerá do número de pistas disponíveis (número de pistas x 1) e do número máximo de atletas que poderão fazer o aquecimento em dryland, considerando o limite de área permitido.
6.    Para optimização do espaço, cada período de treino poderá ter simultaneamente atletas na água e em áreas secas (mínimo de duas). Enquanto os atletas de um grupo nadam, os do grupo seguinte aquecem numa das áreas dryland e vice-versa. Tempo para aquecimento na área de dryland = 30 minutos; tempo para treino na água = 60 ou 90 minutos; tempo para desinfecção da área de dryland = 30 minutos.


Distanciamento de Segurança

1.    Respeitar o distanciamento de segurança, bem como as medidas de prevenção de contágio da Covid-19, a fim de reforçar a segurança dos nadadores e treinadores.
2.    Implementação de recomendações para os atletas quanto ao uso dos equipamentos e higienização imediata após utilização.
3.    Evitar ao máximo o contacto físico entre os treinadores e os atletas.
4.    Será proibida a permanência prolongada dos atletas em socialização na piscina ou em área seca salvo nos momentos de treino específico, nomeadamente de aquecimento ou treino em dryland.

 

Medidas de Higiene

Propõe-se também implementar medidas reforçadas de higiene sanitária nas piscinas, das seguintes formas:
1.    Fornecimento de produtos desinfectantes para todos os atletas na entrada dos recintos de treinamento.
2.    Reforço do serviço de limpeza, em todos os recintos de treinamento
3.    Reforço da comunicação com todos os intervenientes, sobre a importância das regras de etiqueta respiratória e sobre o respeito e cumprimento das medidas de higiene em vigor, emanadas pelas autoridades Nacionais de Saúde.

 

Higienização Sistemática

1.    Deve ser feito um controlo diário da qualidade da água pelo clube. O controlo deve ser para manter os valores de pH e cloro residual livre (mg/L ou ppm) dentro dos parâmetros que mantenham a piscina livre de contaminantes. Para isso o pH deve ser entre 7,2 e 7,6 (sempre <8) e o cloro livre residual deve estar entre 1 – 2  ppm ou 1 – 2 mg/L.
2.    Obrigatoriedade de passar pelo chuveiro e lava-pés com líquido desinfectante mudado com regularidade.
3.    Obrigatoriedade de existência de dispensador de álcool gel na entrada para o cais. Se as pessoas são obrigadas a passar pelo duche e ou lava-pés o dispensador deve estar antes dos duches de acesso ao cais de piscina (zona de balneários e no cais de piscina).
4.    Limpeza de cais de piscina pelo menos uma vez por período (manhã, tarde e noite) com produtos.

 

Proteção Individual
1.    Obrigatoriedade de utilização de máscara na entrada e após a utilização da piscina para os nadadores.
2.    Obrigatoriedade de higienização das mãos e sapatos na entrada da piscina.
3.    Obrigatoriedade de higienização das mãos (nadadores e treinadores) e de passagem pelo chuveiro com sabão (nadadores) na entrada do cais da piscina.
4.    Cada utilizador só pode usar o seu material individual de treino, ou material fornecido pelo clube ou Federação, após desinfecção. Todo o material deve ser desinfectado após cada utilização / aula.
5.    Os nadadores devem ser orientados para a desinfecção diária do material que foi utilizado durante a sessão de treino.

 

Vela
1.    Chegando ao recinto de treino, todos os integrantes devem passar por um processo de desinfecção (tomar banho e troca de indumentaria, antes de usar as embarcações, que deverão igualmente ser desinfectadas, uso de álcool gel para desinfectar as mãos e colocação da roupa de casa em cacifos individuais, dentro de um saco de plástico. Essa roupa deverá ser lavada, estendida ao sol e passada a ferro, antes de nova utilização);
2.    Uso obrigatório de máscaras, por todos os intervenientes, no recinto do treino e durante os treinos;
3.    A prática da Vela deverá ocorrer a nível individual, ou seja, um praticante por embarcação, excepto para os atletas que usam a mesma embarcação, em situação de treino, na categoria de 470;
4.    Para que os meios de segurança e protecção civil possam manter o estado de prontidão para socorrer emergências, a prática da Vela e Canoagem deverá ser efetuada dentro de parâmetros de segurança acrescidos, pelo que, deverá estar circunscrita a:
a)    Condições de vento de intensidade até 20 nós;
b)    Sempre que se fizerem ao mar, os atletas devem estar acompanhados por um treinador que usará uma embarcação a motor e também deverá seguir todas as normas rígidas de prevenção, por forma a minimizar os riscos de contaminação.
c)    Os praticantes de Modelos à Vela deverão respeitar as normas gerais de 2 metros de distanciamento entre si.
d)     Em terra, as embarcações, ao serem aparelhadas, devem distar entre si, no mínimo, 3 metros, e os praticantes, no mínimo, 2 metros, entre si.
e)    Não poderá haver partilha de material ou equipamento entre os praticantes, durante o treino.
f)     Após a prática desportiva, o equipamento/material que fique parqueado/armazenado na instalação desportiva, deverá ser desinfectado (p.e.: com água a e sabão ou solução de base alcoólica) e, caso haja necessidade de partilha de equipamento entre praticantes, tal só poderá ocorrer após a desinfecção do mesmo.
g)    Antes e após a prática, evitar, em absoluto, o convívio.

 

Treinadores
1.    O treinador em barco de apoio a motor, poderá levar consigo, no máximo, 1 acompanhante/ajudante, desde que assegurada uma distância mínima, entre ambos, de 2 metros.
2.    Não poderá haver aulas teóricas em espaços fechados. E, em espaços abertos, deverá respeitar-se a distância de 2 metros entre os atletas, e destes com cada treinador.
3.    Ao orientar o treino, o treinador deverá sempre usar máscara.

 

Instalações que acolhem os praticantes
1.    Os balneários devem sofrer desinfecção constante e sempre que um atleta saia, ou antes de entrar.
2.    Após uma sessão de treino, dever-se-á proceder à desinfecção de todas as embarcações/pranchas, incluindo as do treinador (p.e.: com água a e sabão ou solução de base alcoólica)
3.    Em terra, deverão ser definidos circuitos únicos de circulação, incluindo a entrada e saída do mar.

 

Vólei de praia
1.    Todos os envolvidos deverão obrigatoriamente usar mascaras, durante o trajecto casa/treino/casa, e ao longo do treino;
2.    Todos os envolvidos deverão obrigatoriamente lavar as mãos com água e sabão ou desinfectar as mãos no local de actividade (Praia) na chegada e no final dos treinos e sempre que se mostre oportuno e necessário;
3.    Todo o material de treino, nomeadamente bolas, varetas e marcação do campo deverão ser desinfectados no início e no final de cada sessão de treinamento;
4.    As bolas deverão ser desinfectadas, ao longo do treino;
5.    O vestuário dos atletas deverá ficar exposto ao sol durante o período de treinamento, isto é, a roupa usada durante a ida ao treino deve ser trocada antes do inicio e estendida ao sol, no local;
6.    Logo que termine uma sessão de treino, os equipamentos (indumentaria de treino) deverá ser recolhido para um saco de plástico, selado, lavado e secado ao Sol, logo que o atleta chegue a casa. Antes de nova utilização, deverá ser passado a ferro;
7.    Serão usados vários campos no local com vista a permitir o distanciamento mínimo exigido

 

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique