Baixa colheita e reservas de alimentos a esgotar

Um estudo recente da rede mundial de aviso prévio sobre segurança alimentar, Fews Net, antevê que muitas famílias dependentes da agricultura esgotem suas reservas nos celeiros até Setembro próximo.

A produção agrícola da época 2018/2019 está com níveis abaixo da média dos últimos cinco anos, com a Fews Net, a prever que as famílias com alguns produtos nos seus celeiros esgotem até Setembro próximo. Devido à esses choques, as famílias estão a realizar trocas dos seus animais por comida, bem como a venda de carvão vegetal e madeira.

E mais, “Moçambique enfrenta a pior insegurança alimentar dos últimos três anos”, refere a Fews Net, citada pelo Observador.

Na sua análise intitulada “Perspectiva sobre segurança alimentar”, a Fews Net aponta que a emergência humanitária que se vive em muitos distritos de Moçambique é provocada pela passagem dos ciclones Desmond, Idai e Kenneth, chuvas torrenciais e inundações, no centro e norte, e pela seca, no sul.

O estudo refere ainda que 67.500 crianças com idades entre seis e 59 meses sofrem de malnutrição aguda nos distritos analisados. Deste número, 6.500 crianças sofrem de malnutrição severa aguda.

Entre Maio e Junho, a assistência humanitária às populações em situação de fome atingiu 1,6 milhão de pessoas nos distritos afectados por ciclones no centro e norte do país.
“Há, contudo, muitos agregados que ainda não recebem nenhum tipo de assistência alimentar”, realça a rede mundial de sistemas de aviso prévio.

A Fews Net indica que mais de um milhão de toneladas de culturas, incluindo milho, arroz, amendoim, feijão e vegetais, foram destruídas nas três regiões do país, devido aos ciclones e à seca. Os desastres naturais destruíram embarcações e equipamentos de pesca, uma actividade importante para a sobrevivência de milhares de famílias das zonas costeiras.

 

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique