Destruídas mais de 20 casas em Marracuene

Destruídas mais de 20 casas em Marracuene

Mais de vinte casas foram destruídas, este sábado, no bairro Habel Jafar, distrito de Marracuene, em Maputo, por supostamente terem sido construídas em terrenos alheios.

Um vídeo amador mostra o momento em que um buldózer destruiu as residências, umas acabadas e outras ainda em construção.

A medida apanhou de surpresa os proprietários daquelas residências. Eles acusam as autoridades locais de permitirem a construção das residências destruídas, após entendimento entre as partes.

Encontramos Mustafa Amad, proprietário de um empreendimento construído para a venda de material. Mas o seu sonho foi deitado abaixo.

O jovem conta que o investimento é resultado de um empréstimo bancário, facto que o inquieta.

Quem também perdeu a senhora Cristina Xavier. Diz que gastou 100 mil meticais para a construir sua casa Tipo 2, que foi demolida.

Diante da destruição, os proprietários das casas exigem explicação do caso ao governo distrital.

O administrador do distrito de Marracuene explica que a decisão de destruição surge pelo facto destes moradores não terem as devidas licenças e estarem a construir em terras alheias.

O distrito de Marracuene tem sido, nos últimos tempos, palco de conflitos de terra e invasão de propriedades. Moradores do bairro Fafitine acusam os funcionários do governo distrital de envolvimento na venda e usurpação de terra. Só em Março, dois funcionários foram expulsos depois de ter-se provado o seu envolvimento na venda de terra.

Os populares lamentam ainda a inoperância das autoridades locais na resolução de conflitos, grande parte perpetrados por indivíduos residentes em zonas circunvizinhas daquele distrito, em conivência com alguns nativos.

O administrador do distrito assumiu envolvimento de alguns funcionários em esquemas, mas garantiu que tudo está a ser feito para acabar com a venda proibida por lei.


 

 

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique