Egas Canda vence concurso de tradução literária com Makungo ya Mayi Wangu

Egas Canda vence concurso de tradução literária com Makungo ya Mayi Wangu

O título original do texto traduzido por Egas Canda é My mother’s project, de Lydia Kasese. O tradutor foi distinguido esta quarta-feira, pela organização do Concurso de Tradução Literária

 

Um dia desses, Egas Canda viu uma notícia sobre Concurso de Tradução Literária na televisão. A partir de Inhassoro, onde vive e trabalha, o enfermeiro decidiu contactar a organização do evento pelo Facebook e, de seguida, veio a resposta. Excitado pela possibilidade de traduzir um conto, o senhor doutor seguiu em frente e participou.

Em média, Egas Canda levou 10 dias a traduzir um texto de seis páginas, afinal tem outras ocupações, como essa de cuidar da saúde das pessoas no Centro de Saúde de Inhassoro todos os dias. A verdade é uma, o seu esforço foi reconhecido no Dia Internacional da Tradução Literária, efeméride que se assinala a 30 de Setembro. Num evento realizado no Centro Cultural Franco-Moçambicano, esta quarta-feira à noite, na cidade de Maputo, Egas foi distinguido vencedor do concurso de tradução, numa cerimónia com várias medidas preventivas da COVID-19.

Egas Canda traduziu o conto My mother’s project, da escritora tanzaniana Lydia Kasese, do inglês para a sua língua materna, o guitonga. Assim, o conto ficou com o título Makungo ya Mayi Wangu. A sua preferência? “Traduzi do inglês para o guitonga porque quis buscar um desafio. Sabia que a maioria iria traduzir de uma língua europeia para o português. Mas nós não somos portugueses, temos as nossas raízes, que nos identificam. Posso dizer que quis alavancar a nossa cultura através da minha língua materna”.

Segundo entende o vencedor desta sexta edição do concurso, a tradução literária ajuda a levar uma mensagem de um autor para outras pessoas que, talvez, estão impossibilitadas de a receber na língua de origem. “Com este concurso, aprendi a confiar em mim mesmo. O sucesso do nosso trabalho, seja duro ou não, depende da nossa entrega. Aprendi a ser um bom leitor”. Por isso, Egas Canda promete continuar não só a traduzir, mas também a escrever alguma coisa.

Egas Canda nasceu na cidade de Inhambane, a 12 de Novembro de 1991. Entre 2004 e 2010 fez programas de rádio e, naquela altura, traduziu vários textos para os programas radiofónicos. É licenciado em Medicina Dentária pela UniLúrio. Neste concurso foi premiado com um certificado, alguns livros e um valor simbólico. Para o ano, o texto que traduziu irá integrar a colectânea de contos editada pela Trinta Zero Nove.

 

Uma experiência interessante e O redentor do mundo

Além de Egas Canda, no Concurso de Tradução Literária foram distinguidos mais dois tradutores. O segundo classificado foi Xavier Nhanala, para quem a experiência foi interessante. “Foi um grande desafio, porque, na tradução literária, há aspectos culturais que vão além de uma tradução”.

Os contos traduzidos nesta sexta edição do concurso serão publicados numa colectânea pela Trinta Zero Nove, próximo ano. Entretanto, esta segunda-feira, a editora publicou o livro resultante do concurso de tradução de 2019, intitulado O redentor do mundo, que reúne oito contos traduzidos de autores europeus.

 

 

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique