“Pequeno Brasil” dança ao ritmo do pandza

A cidade de Quelimane parou este sábado para acolher o segundo concerto que marca o reencontro da Bang Entretenimento, alusivo aos 15 anos da Stv. Cor, luz e muita música ao vivo animaram a Marginal do “Pequeno Brasil”. Como retribuição, o público vibrou e cantou com os músicos no concerto a muito aguardado.

Tal como se previa, o espectáculo iniciou com a actuação de músicos locais, muitos dos quais foram influenciados por este grupo que desapareceu dos radares há 10 anos.

O momento mais aguardado pelos machuabos foi inaugurado pela antiga dupla Ziqo e Denny OG. Os dois, como é a tónica do concerto, resgataram os antigos êxitos. Músicas como “Teresinha” e “Casa dois” foram bastante aplaudidas pela assistência que lotou o espaço. Não era para menos, foram necessários 10 anos para este reencontro.

A seguir, com o seu estilo característico, subiu ao palco a Marllen. A Preta Negra não deixou seus créditos em mãos alheias. A sua roupa combinava com a actuação: um cruzamento entre a tradição e a modernidade. Foi por isso que para uma das espectadoras ela foi a artista que mais convenceu, sem com isso reduzir o potencial dos outros músicos.

Cantou-se também o amor. E porque a festa era do pandza a chuva repudiou a música romântica de Doppaz. Mesmo assim o público não se encolheu, cantou com o “king” como são os “Olhos sonhadores”

Para Valdemiro José esta festa tem dois perfeitos sentidos. O primeiro é o facto de a Bang alastrar o seu “reencontro” para outros cantos do país. O segundo, talvez o mais importante, é o facto de estar a cantar em casa. A performance de VJ foi ovacionada pelos seus conterrâneos. Claro, de forma alguma devia decepcionar naquele reduto. 
Lá para o fim, Lizha James e Dama do Bling deram o ar do seu “swaag”. As músicas que mostraram o lado irreverente das mulheres foram recordadas. Para os espectadores foi fantástico, tanto é que pedem outro concerto na celebração dos 16 anos da Stv. A festa que teve a parceria da Sétimo Nível terminou às... foi até quase raiar do sol.
Para o edil de Quelimane, Manuel de Araújo, apesar da chuva todos estiveram na Marginal a cantar e vibrar pela música moçambicana.

“Quelimane é mesmo assim, é festa, é carnaval, são festivais, é cultura. Por isso estou muito feliz, estão de parabéns os organizadores”, congratulou o edil.

A próxima festa do “Reencontro será na cidade de Nacala. A promessa foi feita por Jeremias Langa, em representação à Stv, televisão que completa em Outubro 15 anos, por isso estes espectáculos.


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique