“Grace”: uma história e o início de uma carreira a solo

“Grace”: uma história e o início de uma carreira a solo

Xavier Machiana vai investir, este ano, numa carreira musical a solo, depois de ter lançado dois álbuns com a banda Rockfeller´s.

 

A ideia é lançar um álbum discográfico até o final do ano. Por isso, Xavier Machiana já iniciou o percurso a solo. Recentemente, o músico de rock disponibilizou ao público, através de plataformas digitais, a primeira das várias músicas que vão constituir o seu disco. Intitulada “Grace”, a música traduz o interesse de o autor cantar sobre a necessidade de as pessoas serem mais humildes e, acima de tudo, aprenderem a verbalizar a gratidão. “Muitas vezes nós estamos numa corrida pela vida, e esquecemo-nos de dizer obrigado às pessoas que estão ao nosso lado ou de acarinhar os nossos filhos”, afirmou Xavier Machiana, esta segunda-feira, em Maputo, sublinhando que “Grace” é uma chamada de atenção para a necessidade de se ser mais humano e verbais em relação aos sentimentos positivos.

Já a tocar nas rádios, “Grace” faz parte de um projecto de composição a solo que Xavier iniciou em 2014. Foi escrita em casa do músico, na Noruega, quando lá viveu por cinco anos. Até ficar pronta, o tema sofreu várias alterações, tendo sido gravada (uma parte) em Nova Iorque e finalizada nos estúdios da Ekaya, em Maputo, com a produção, mistura e masterização por João Carlos Schwalbach. Nas terras do “Tio Sam”, as gravações de guitarras foram confiadas ao guitarrista John Caban, que que trabalhou com Richard Bona, Alana Davis ou Art Neville. As razões dessa preferência? “Ele ouviu a música, gostou e logo disse-me que queria fazer parte do projecto”.

Ou seja, a preferência de trabalhar com o guitarrista John Caban justifica-se porque o músico moçambicano procurava na altura alguém que tivesse um notável background de rock e que não na sua colaboração não fizesse simplesmente um trabalho encomendado. “Ele ouviu e mandou-me algumas ideias e senti que ambos percebemos a música da mesma maneira, apesar de não nos termos conhecido antes”.

Neste novo percurso de Xavier, a ambição vai além do rock, até porque o músico também tem escutado jazz, house music ou hip-hop. Logo, doravante, a sua criação terá um pouco desses elementos todos. Obviamente que o elemento rock estará mais presente em quase tudo, “pois eu cresci neste ambiente do rock”.

“Grace é um bocado de Xavier Machiana 20 anos depois, agora que é pai de meninos grandes, marido e uma pessoa mais serena profissionalmente. O percurso ora a trilhar a solo reflecte algo que está a passar, mas sem se esquecer de onde vem. “Eu sou produto da minha história, mas agora gritando ou saltando menos, sem se preocupar com o que as pessoas pensam, mas no que o projecto vai dar”.

Com efeito, até o disco ficar pronto e ser lançado, Xavier vai disponibilizar músicas regularmente. Por exemplo, mensalmente ou de dois em dois meses. Sem pressão. A estratégia tem mesmo a ver com as novas tendências, pois o músico entende que as pessoas, actualmente, ouvem mais música em formato digital e sem muita inclinação para álbuns. Assim, dará ao público a possibilidade de escutarem as músicas uma de cada vez, sempre com a dimensão internacional, afinal: “há que migrar para algo maior, abrangente e apostar nas aprendizagens que colhi nos países onde vivi e estabeleci contactos”, o que não quer dizer que vá sempre cantar em inglês. O artista da Matola compõe muito na língua de Shakespeare, mas não se esquece de português. Seja como for, “a língua não é o mais importante, até porque já vi pessoas na China a cantarem músicas de Mr. Bow”.

 

O ADEUS A ROCKFELLER´S?

Xavier Machiana lançou dois álbuns discográficos com Rockfeller´s, Vida dura e Tempo. O artista considera a banda que se prepara para lançar o terceiro disco sua família, a sua escola, onde surgiu e onde está a sua base de inspiração. “Rockfeller´s vai ser sempre um marco em tudo o que eu for a fazer”.

Questionado sobre por que deixou a banda, já que é sua família, Xavier explicou: “eu precisa de tempo, porque além de fazer música faço também outras coisas. Vamos dizer que eu pedi uma espécie de licença indeterminada até acabar este projecto. Não conseguiria ter energia e tempo para fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Mas acredito que as nossas energias são muito boas e a qualquer altura pode haver uma surpresa de fazermos qualquer coisa juntos”, afirmou, garantido que uma família não se dissocia, mesmo tomando direcções diferentes.

 

O PERCURSO MACHIANA

Xavier Machiana é músico, compositor, actor e activista social. Foi vocalista dos Rockfeller´s, primeira banda de rock do país, actuando em mais de 250 espectáculos. Os Rockfeller´s dividiram o mesmo palco com artistas como: Kool & The Gang, UB40, Martinho da Vila, Lucky Dube, Hugh Masekela, Oliver Mtukuzi, Kassav, Delfins, Rui Veloso, Xutos e Pontapés e Filipe Mukenga. Como vocalista e guitarrista da banda Rockfeller´s, Xavier compôs, produziu, gravou e tocou em dois discos: Vida dura e Tempo, bem como co-produziu os vídeo-clips e um DVD ao vivo.

Xavier co-conceptualizou e produziu o concurso nacional de música alternativa “Sai da garagem”, para a promoção de bandas de rock em Moçambique, que contou com castings e festivais na Beira e Maputo. Co-gerenciou o grupo cultural da Comissão Nacional para a UNESCO em Maputo. Fez diversas performances ao vivo com artistas como o legendário ícone do rock mundial Bono Vox (U2), a diva do funk e Soul Sandra St. Victor (Prince, Chaka Khan, Tina Turner, Erykah Badu, etc. Como actor participou em curtas metragens, seriados, reality-shows e anúncios em Moçambique, África do Sul e Noruega. É formado em Linguística Aplicada, trabalhou como Gestor de Projectos e Especialista em Comunicação para a Mudança de Comportamento e colabora há mais de 15 anos em diversos programas e projectos para ONGs nacionais e estrangeiras.

 

 

 

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique