Human Rights questiona responsabilizações aquando do conflito militar

Human Rights questiona responsabilizações aquando do conflito militar

A organização Human Rights Watch questiona a falta de responsabilização de pessoas pelos graves abusos que diz terem sido cometidos tanto pelas Forças de Defesa e Segurança do Estado como pela Renamo a quando do conflito militar. A denúncia foi feita através de um relatório lançado hoje na cidade de Maputo.

O relatório de 68 páginas intitulado “O próximo a morrer: abusos das Forças de Segurança e da Renamo em Moçambique” faz um relato sobre os abusos violentos cometidos nas províncias centrais do país entre Novembro de 2015 e Dezembro de 2016. Os abusos incluem detenções arbitrárias, destruição de propriedade privada bem como assassinatos políticos.

No mesmo documento é questionado o facto de até então a comissão parlamentar indicada para esclarecer o caso de pelo menos 15 corpos descobertos em uma vala comum no distrito de Macossa, Manica em 2016 não ter apresentado uma informação oficial ao público sobre o assunto.

O relatório baseia-se em mais de 70 entrevistas com vítimas de abusos e respectivos familiares, agentes da polícia, soldados, políticos, activistas e jornalistas.


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique