Igor Mogne aponta para Tóquio 2021

Igor Mogne aponta para Tóquio 2021

O nadador do Sporting de Portugal, o moçambicano Igor Mogne, diz que continua a trabalhar arduamente para marcar presença nos Jogos Olímpicos Tóquio 2021. Igor Mogne diz que a Covid-19 limitou o processo de treinamento e espera voltar em breve a competir.

Longo período a treinar a seco, face ao Estado de Emergência em Portugal. Longo período de incerteza. Longo tempo a treinar condicionado, sem acesso a piscina e muito menos ginásio.

Esta é a realidade vivida por Igor Mogne, nadador moçambicano que evolui no Sporting, em Portugal. Mogne, que  “pisca o olho” aos mínimos oliímpicos que garantem a segunda presença nos Jogos Olmpicos (ndr: estreiou-se há quatro anos no Rio de Janeiro), cumpre ate hoje um plano de treino traçado pelo seu treinador. Força e resistência na ordem do dia.

“É tudo um esforço que tem que ser feito. Não foi fácil fazer porque as pessoas perdem vontade. Queriam continuar a treinar e não sabiam o que fazer, visto que os jogos já haviam sido adiados e não haveriam provas esta temporada. Mas não podia parar pois não pretendia ficar dois ou três meses sem treinar e, depois, começar tudo completamente do zero”, notou o nadador moçambicano.

O futuro é agora! Cada segundo, cada minuto, cada hora e cada dia são fundamentais para se manter em forma.

Portugal anunciou há dias as medidas de desconfinamento. O desporto, ou melhor, os atletas de alto rendimento naquele país tem já autorização para, a partir de hoje, voltar a treinar na piscina e fazer uso do ginásio do Centro de Alto Rendimento (CAR) de Natação do Jamor, em Oeiras, depois do encerramento das instalações, em 14 de março, devido à pandemia de covid-19.

“Agora que o Estado de Emergência acabou, abriram algumas piscinas no país para ver se os atletas de alta competição que estão em preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio possam começar a entrar, podemos dizer, em preparação ou retornar à actividade para não se perder mais do que já se perdeu. Já se perdeu imenso trabalho. A ideia é, em princípio, começar a treinar o mais breve possivel”, comentou, a prosito, Igor Mogne.

Individualmente, quais são os seu planos a partir de agora para treinar? “Não sei. Não consigo lhe dar uma ideia de como vai ser e do plano que o treinador tem porque não sabemos como é que vai ser. O que vai mudar e o que se vai fazer. O primeiro plano é ter acesso à piscina e começar a treinar. Depois, ver como é que pode ser”, frisou um dos mais promissores nadadores da actualidade.
Há dias, o Comité Olímpico de Moçambique (COM) irá continuar a apoiar os atletas nacionais bolseiros até Junho de 2021.

Mogne diz que a agremiação tem dado o seu suporte até o momento. “O Comité Olímpico de Moçambique tem me apoiado o suficiente. Tem feito todos os possiveis para para que eu consiga manter-me em actividade ou começar a actividade com os que estao em preparação olímpica cá em Portugal com o Comité  Olímpico de Portugal e Federação de Natação”, esclareceu.

O nadador bolseiro acresceu: “Eu não faço parte do programa deles, sou mais um atleta. Sou um atleta estrangeiro para eles. Então, eles fizeram um pedido para ser integrado no plano deles para que, quando se começasse a treinar,  ponderarem a minha situação. Isto é: se estao disponíveis ou não a integrarem-me”.

Estar entre a nata do desporto mundial e fazer melhor do que em 2016, no Brasil, é a grande aposta de um dos melhores nadadores do país. A vontade de superar as adversidades é grande.

“Agora que os Jogos Olímpicos foram adiados, as minhas expectativas não mudam. Vão ser as mesmas: é continuar a representar Moçambique ao mais alto nível que eu consiga. Agora que terei mais um ano para me preparar, tentar estar melhor do que estaria se os jogos se realizassem este ano. Isso tendo em conta que ainda não obtive o minimo olímpico e essse é o objectivo para Tóquio”.


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique