O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
20 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início

Consumo poderá continuar baixo nos próximos tempos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
INE prevê que os preços venham a abrandar nos próximos meses Desde o ano passado, a economia moçambicana atravessa momentos de crise que se caracteriza pelo aumento do custo de vida e força os agentes económicos a adoptarem a contenção de despesas.

O Indicador de Confiança e de Clima Económico – boletim informativo do Instituto Nacional de Estatística (INE) que divulga, mensalmente, os indicadores de desempenho económico – fez uma avaliação da procura nos próximos tempos (perspectiva da procura) e concluiu que poderá reduzir, interrompendo a trajectória positiva que se verificou em finais do ano passado.

O boletim informativo do INE explica que a perspectiva desfavorável da procura deve-se às avaliações negativas das previsões da procura dos empresários dos sectores de transportes, produção industrial, comércio e serviços não financeiros, embora haja previsões animadoras dos operadores dos sectores de alojamento e restauração e de construção.

A redução da procura será reflexo da austeridade que, com a crise, passou a ser regra das famílias, empresas e do Estado.

Apesar disso, no geral, o indicador do clima económico foi favorável no início deste ano, consolidando a trajectória de melhoria que vem registando desde o mês de Novembro de 2016. A conjuntura favorável da economia foi influenciada, principalmente, pelas perspectivas favoráveis do emprego para os próximos meses, dando assim sinais de recuperação da conjuntura económica.

Preços tenderão a reduzir

Ao contrário do que revelam os últimos dados sobre o comportamento do nível geral de preços (inflação), que apresentaram um aumento de 20.88% em Fevereiro, comparativamente a Fevereiro do ano passado, o INE prevê que os preços venham a abrandar nos próximos meses. 

“O indicador de perspectiva dos preços registou uma diminuição interrompendo assim a tendência de aumento dos últimos meses de 2016. A quebra da perspectiva de preços deve-se à previsão da diminuição dos preços futuros em todos os sectores, com a maior amplitude a verificar-se nos sectores de comércio e de produção industrial”, refere o documento.

Para este ano, o Governo prevê uma inflação média de 14%, nível melhor que os perto de 20% registados no ano passado.


 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo