O País Online - A verdade como notícia

Sábado
25 de Março
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início

Embaixador da Itália termina missão diplomática e garante boas perspectivas

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Despediu-se ontem do Presidente da República.

Terminou oficialmente ontem a missão diplomática do embaixador da Itália, Carlo Lo Cascio, em Moçambique. Foram pouco mais de quatro anos à frente da diplomacia italiana no território moçambicano.

A missão diplomática do embaixador italiano terminou, formalmente, com um encontro-balanço com o presidente da República, Armando Guebuza, com quem avaliaram o seu trabalho em representação daquele governo no nosso país.

O diplomata faz um balanço positivo e promete que o seu país vai continuar a ajudar Moçambique em várias frentes.

“O balanço é extremamente positivo. A visita do nosso ministro dos Negócios Estrangeiros da Itália (Giulio Terzi di Sant´Agata) a Moçambique no mês passado mostrou a nossa vontade de continuar a desempenhar um papel de referência em Moçambique e, também, no diálogo entre o governo e os doadores”, sublinhou a fonte.

Apesar da crise internacional, Carlo Lo Cascio garante boas perspectivas entre as duas nações, no sentido de continuar a ajudar Moçambique e a atrair empresários a investir no país.

De acordo com o diplomata, actualmente, o investimento italiano em Moçambique ronda os cerca de 150 milhões de euros, devendo tornar-se no primeiro investidor estrangeiro no país durante os próximos anos. Por outro lado, o volume das trocas comerciais entre os dois países ronda a aproximadamente 400 milhões de euros, sendo a Itália um dos mais exportadores para Moçambique.

“Portanto, o terreno foi já preparado nos últimos anos. Agora, com a entrada da ENI, a Itália deverá ser, nos próximos anos, o primeiro investidor estrangeiro neste país. Será uma operação, muito importante, com novos desafios”, disse Lo Cascio.

Leia mais na edição impressa do «Jornal O País»
 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo