O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
18 de Outubro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início

Governo precisa de mais de sete milhões de meticais para premiação de atletas

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Valor das premiações deste ano reduziu significativamente

 

O Governo de Moçambique necessita de sete milhões, quinhentos e quarenta mil meticais (7.540.000,00mt) para galardoar os atletas nacionais, que mais se distinguiram, elevaram a bandeira do nosso país e conquistaram medalhas e títulos nas provas africanas e mundiais em que estiveram envolvidas, na Gala do Desporto deste ano. É um valor que o Fundo de Promoção Desportiva diz ainda não dispõe e que está à procura de parceiros para a inviabilização desta gala, que ainda não tem data definida, prevendo-se que aconteça entre finais de Fevereiro e início de Março deste ano.

O valor será repartido entre os atletas de várias modalidades, nomeadamente Vela e Canoagem, nos campeonatos africanos de Durban e Luanda, nas especialidades de K1 200, K1 1000 e K2 1000 metros, respectivamente, onde alcançou medalhas, no atletismo adaptado, nomeadamente nos Jogos Paralímpicos, onde Edmilsa Governo conquistou medalha de prata para o país, e nos Jogos Africanos nos 100 e 200 metros, onde bateu recordes africanos, nos africanos de sub-18 em basquetebol feminino, onde conquistamos a medalha de bronze, e o judo, que também teve medalhas nos jogos africanos da modalidade.

Edmilsa Governo, atleta paralímpica, mostra-se como candidata a receber o maior bolo deste valor das premiações, uma vez ter conquistado a medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos, realizados no Brasil, conquistou medalhas de ouro nas competições africanas e ainda conseguiu quebrar recordes nacionais e africanos na sua especialidade de T12. Na mesma ocasião, serão eleitos os melhores atletas do ano 2016, em todas modalidades e categorias. No ano antepassado, 2015, os melhores foram Edmilsa Governo e Pio Matos, basquetebolista que, em 2015, foi o maestro do Desportivo de Maputo na conquista do título nacional e que trocou os “alvi-negros” pelos campeões nacionais, o Ferroviário de Maputo, no ano passado.

Vale dizer que o valor das premiações deste ano reduz significativamente, uma vez que em 2015 foram gastos dez milhões e cento e sessenta mil meticais, menos 2.620.000,00mt (dois milhões e seiscentos e vinte mil), avaliados para a premiação deste ano, para os melhores de 2016.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo