O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
18 de Outubro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início

Jay Oliver já em Maputo para espectáculo de dois dias

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Cantor angolano promete fazer Maputo e Matola vibrar este fim-de-semana

Jay Oliver está em Moçambique pela terceira vez. O músico angolano tem dois espectáculos marcados no país, um em Maputo, amanhã, no Glória Hotel, e outro na Matola, Parque dos Poetas, sábado.

A primeira passagem do cantor pelos palcos moçambicanos foi em 2016, no “show” de Nelson Freitas, e sentiu-se contagiado com o calor dos moçambicanos. “Pude ver que as minhas músicas são muito conhecidas aqui em Moçambique”, disse o cantor e acrescentou que “não sabia que era assim tão popular”.

Oliver espera receber o mesmo calor desta vez e promete fazer o público vibrar ainda mais com as suas músicas. “Para além dos temas já conhecidas, trago um repertório novo para este espectáculo”, promete o cantor.

Em entrevista ao “O País”, Oliver confessou inspirar-se em filmes, livros ou estórias vividas por ele ou por outras pessoas para compor. “Estou a preparar o segundo álbum que está a 80%, faltando alguns acabamentos, antecipou-se. O artista acredita que será um bom álbum e que todo o mundo terá acesso porque além do formato físico irá disponibilizá-lo na plataforma digital.

Actualmente, o Jay Oliver tem promovido alguns temas que farão parte deste novo álbum, cujo o título não foi referenciado. Trata-se de “Ex-damo” e “Você sabe me tocar lá”, bastante tocadas no país e, como conta, são as que lhe permitem ser solicitado pelo sucesso que fazem no universo PALOP. Noutro instante, o artista disse ter outro tema – “Mambo bom” – que ainda este fim-de-semana estará disponível.

Jay Oliver disse estar disposto não só para cantar, mas também para fazer parcerias com alguns músicos moçambicanos. Na sua locução, o artista fez questão de enumerar alguns nomes: Twenty Fingers, Cláudio Ismael e Messias Maricoa. Para o cantor, os três artistas têm a mesma entrega quando o assunto é fazer música tal como ele.

Oliver, a par de alguns artistas angolanos, tem recebido muito carinho dos moçambicanos nas redes sociais e espera que esta não seja a última vez no país, porque considera Moçambique sua segunda casa.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo