O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
22 de Fevereiro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Cultura Cultura Victor “Kwality” Chissano regressa ao país para apresentar “Koan” aos seus irmãos

Victor “Kwality” Chissano regressa ao país para apresentar “Koan” aos seus irmãos

“Koan” conta com temas que reflectem a sua vida no momento

 

O músico moçambicano Victor Chissano, ou Victor Kwality como é conhecido artisticamente, está em Maputo (cidade que o viu nascer) para férias e divulgação do seu primeiro álbum. O artista viveu em Maputo durante os seus primeiros três anos de vida, tendo depois rumado para Europa, com os seus pais, onde viveu na França até aos oito anos e, posteriormente, fixou-se na Itália.

O seu primeiro álbum, “Koan”, conta com temas que reflectem a sua vida no momento. Nesta obra, as marcas do reggae e electrónica são muito fortes. O álbum conta com colaborações de dois rappers amigos italianos, e uma das canções valeu-lhe um disco de ouro.

Kwality contou ao jornal O País um pouco do seu percurso artístico. O artista, primeiro, explicou que não estava nos seus planos viver de música. “Eu estudei Relações Internacionais e seis línguas. A música foi um “hobby” na adolescência”, deu a saber.

De seguida, o cantor revelou que teve a sua primeira banda também na adolescência, e foi, nesse momento, que recebeu os primeiros incentivos. “Tive a minha primeira banda aos 14 anos – ela chamava-se “Afromind” – e tocava reggae. Nessa altura, os meus amigos incentivaram-me a levar as coisas mais a sério. Diziam que eu tinha muito talento e me expressava muito bem”, explicou.

O músico, entretanto, acrescentou que os seus progenitores influenciaram bastante no seu envolvimento com a música. “Tive uma grande influência dos meus pais que cantam e tocam”. É através do pai, moçambicano, que Victor Kwality tem referências de Moçambique. Ele diz apreciar a marrabenta da “velha guarda” e ter especial apreço por Chico António, em particular.

Depois da Banda “Afromind”, o artista partiu para uma aventura a solo. Em Ibiza, na Espanha, tocou e cantou estilos electrónicos, em grandes discotecas, e isto durou três anos.

De volta a Itália, Kwality foi convidado para ser apresentador do canal MTV Itália. “Fui o primeiro VJ negro da MTV Itália. Foi uma grande honra para mim. Na Itália somos poucos afro-italianos e agora começa um movimento forte de afirmação”, frisou.

E porque o talento sempre lhe valeu boas parcerias, durante sete anos cantou na banda LNRipley, tendo continuado a cantar música electrónica ao vivo.

O talento e expressividade valeram-lhe um contrato com a marca Jeep na Itália. Durante 20 dias, o artista viajou pela Escócia e escreveu a música “Renegade”. A composição faz parte de uma campanha publicitária, onde o cantor dá o seu rosto.

No final da conversa, o cantor deu a saber que tem desejo de fazer algum intercâmbio com músicos jovens moçambicanos.

 

KWALITY PROMETE VOLTAR PARA GRAVAR VIDEOCLIPE NO PAÍS

“Eu quero muito fazer algum trabalho aqui em Moçambique. Já tive a oportunidade de cantar, ao vivo, com Yolanda da banda Kanana, num dos restaurantes da cidade de Maputo. Apesar de ter sido algo improvisado, saiu muito bem. Ela é uma pessoa maravilhosa”, contou-nos o artista, e acrescentou que também “gostaria de ter mais interacção com o trabalho dos jovens moçambicanos, saber como as ‘cenas’ são feitas aqui”. Além disso, segundo partilhou, teve um encontro rápido com o produtor Mito, mas espera ir ao estúdio dele antes do seu regresso à Itália. “Daqui a pouco volto para Itália”, referenciou, “mas gostaria de voltar, em breve, com os meus companheiros e fazer um vídeo-clip aqui em Moçambique”.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-02-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa 384