O País Online - A verdade como notícia

Quinta-feira
21 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Cultura Cultura Diogo Vaz regressa com “Os novos contos de Guicalango” sete anos depois

Diogo Vaz regressa com “Os novos contos de Guicalango” sete anos depois

Obra é constituída por nove contos, os quais são uma radiografia da sociedade

Para celebrar os 15 anos de carreira e os sete do livro “Os contos de Guicalango” - obra que marca a sua estreia no mercado editorial - o escritor moçambicano Diogo Araújo Vaz, vai lançar amanhã (16), na Casa do Artista, cidade da Beira, “Os novos contos de Guicalango”.

Trata-se de uma obra escrita recentemente, mas que, segundo nos confidenciou o autor, segue a matriz dos “antigos” contos de Guicalango, colectânea editada, pela primeira vez, em 2010, depois de ter sido distinguida em 1.º lugar com os prémios “100 anos Minerva Central” e “Maria Odete de Jesus”.

Na obra, o vovô Guicalango, cujos “olhos já se haviam embriagado de estórias dos tempos idos”, ao sabor de rapé, revela uma gama de episódios gravados em sua memória, bastante variados, conforme se lê na nota do autor.

Chancelada pela Editorial Fundza, sediada na cidade da Beira, a obra é constituída por nove contos, os quais são uma radiografia da sociedade que teimamos em edificar, com todos os seus vícios.

Diogo Araújo Vaz nasceu a 8 de Abril de 1978, na cidade de Inhambane. Com formação superior em Gestão, o autor está radicado na cidade da Beira desde o ano de 2005. Esta é a sua quinta obra publicada. As outras são “Os Contos de Guicalango” (2010), “A Ira da Chama” (2012), “Diário de um positivo” (2013) e “Os Seguranças do Alheio” (2016).


 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -21-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414