O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
23 de Junho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Cultura Cultura Fundo Bibliográfico de Língua Portuguesa doa mais de 1400 livros à Biblioteca Provincial da Zambézia

Fundo Bibliográfico de Língua Portuguesa doa mais de 1400 livros à Biblioteca Provincial da Zambézia

Nataniel Ngomane espera que livros doados ajudem a formar leitores e poetas do calibre de White e Armando Artur

Com o mesmo propósito de expandir o livro aos vários cantos do país, o Fundo Bibliográfico de Língua Portuguesa (FBLP) foi a Quelimane para doar 1490 livros diversos à Biblioteca Pública Provincial da Zambézia.

Num país com tanta sede de leitura, a ideia de doar os livros à Biblioteca partiu, de acordo com o Presidente do FBLP, Nataniel Ngomane, da constatação de inúmeras sobras de livros que haviam sido disponibilizados à 1ª Edição da Feira Distrital do Livro de Mocuba, que o FBLP realizou em Novembro passado. “Associado a esse facto, o confronto com o factor transporte, para trazer os livros de volta para Maputo: já havíamos pago uma soma elevada para os transportar via aérea, para Quelimane, e afigurava-se extremamente caro pagar duplamente. Por isso, achámos que a melhor saída era oferecê-los à Biblioteca da Zambézia, uma instituição suficientemente concorrida pelos mais diversos leitores, em particular por alunos das escolas primárias e secundárias, além do grande público universitário”, afirmou Ngomane. Mas essa não foi a única razão. O facto de Zambézia ser, a seguir à Nampula, a província mais populosa de Moçambique, com cerca de cinco milhões de habitantes, de acordo com os dados de 2016 da Delegação Provincial do Instituto Nacional de Estatística na Zambézia, aponta, na percepção do Presidente do FBLP, para uma carência do livro provavelmente maior, em relação às outras províncias, sobretudo quando considerado que 1.564.177 correspondem à população estudantil. “Para uma província com as dimensões geográficas e socioculturais como as que caracterizam a Zambézia, pareceu-nos uma decisão acertada”, sublinhou.


Como forma de garantir um melhor aproveitamento dos livros, Nataniel Ngomane espera que a sua existência na Biblioteca Provincial seja amplamente divulgada pelos diversos sectores relacionados, a nível local. Segundo, que sejam bem manuseados e lidos, não apenas por estudantes e professores, mas por todos os segmentos sociais, pois, além de livros didáctico-pedagógicos e técnicos, também existem romances, poesia, dicionários, enciclopédias e prontuários.

Confrontando com ideia de os livros estarem demasiados centralizados naquela biblioteca, considerando que poderiam ter sido partilhados com outros distritos, Ngomane disse que não, porque é visível cada vez mais elevada quantidade de instituições voltadas para a Educação e sua respectiva população. “No nível superior, por exemplo, basta referir a presença da UP, da UCM e da A Politécnica. O livro não estará centralizado e poderão ser úteis também pelos potenciais leitores das regiões periféricas e mesmo distritos mais próximos”, disse Ngomane.

Na Zambézia, o FBLP desenvolve actividades de promoção da leitura, através da oferta de livros e realização de feiras, também nos distritos. Assim, Mocuba recebeu a sua 1ª Feira do Livro, em Novembro último, e as escolas Emília Daússe, do Chinde, Molulo, na divisa entre Mopéia e Luabo, a Escola Secundária Geral de Sangariveira e a de Coalane receberam também.


Nisso, considerando o público diverso, o critério que guiou a selecção dos livros doados foi o mesmo que norteia a escolha de livros para uma Feira de Livro Distrital: o mais eclético possível, sempre com destaque para a literatura “porque o texto literário, sem nos dar respostas para a (re)solução de questões pontuais, práticas, nos abre as portas para pensarmos o mundo na sua imensidão. O texto literário, pela sua natureza ficcional, assente na imaginação humana, uma imaginação sem limites, não só nos introduz na complexidade do mundo e suas complexas relações e disposições, como também nos inicia e fornece instrumentos de como nos guiarmos, como nos conduzirmos na vastidão desse mundo”, lembrou o Presidente do FBLP, realçando que os textos literários constituem uma janela e porta abertas para mergulhar na cultura mundial.

Além de favorecer leitores por via da oferta de livros, o FBLP interessa-se, com a doação, em contribuir para o surgimento de mais autores da estatura de Eduardo White, Armando Artur, entre outros da Zambézia. “Para isso, é necessário formar leitores, primeiro. Leitores que, além de respostas técnicas, pontuais, procurem nos textos literários o prazer do texto, em si. O prazer de descobrir a beleza sonora das palavras, sua sonoridade ímpar”.

Na Sexta-feira passada, o público de Quelimane teve ainda a possibilidade de acompanhar a palestra subordinada ao tema "A importância da leitura e da literatura para o desenvolvimento", orientada por Nataniel Ngomane e que versou sobre como através da leitura de livros diversos se adquire o conhecimento, o saber, a cultura. E como este conhecimento, este saber, esta cultura contribuem para o desenvolvimento do indivíduo, das famílias, de grupos sociais diversos, de bairros, distritos, províncias, país e, em última análise, para a humanidade.


A cerimónia começou as 9h e terminou as 12h, e ainda contou com duas mediações de leitura, actividade que consiste em ler histórias com crianças - no caso, da 5ª classe -, onde elas depois interpretaram, recontaram e representaram com base na mímica o que haviam entendido, como forma de exercitar a sua compreensão e capacidade interpretativa.

No evento, estiveram a Directora da Biblioteca, Rosa Muibo; Directores Provinciais de Educação e Desenvolvimento Humano, de Cultura e Turismo; representantes da UP, UCM, A Politécnica; Directores, professores e alunos.

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-06-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa402