O País Online - A verdade como notícia

Sábado
22 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Cultura Cultura Temporada de Música Clássica arranca amanhã no Centro Cultural da UEM

Temporada de Música Clássica arranca amanhã no Centro Cultural da UEM

Alunos do Xiquitsi vão partilhar palco com grandes nomes de música clássica

Os sons da nova Temporada de Música Clássica já ecoam aos ouvidos dos espectadores. Depois do lançamento do evento, semana passada, o projecto Xiquitsi tem data e hora marcada para arrancar com a primeira série relativa a este ano. Os acordes irão começar a soar a partir das 19h30 de amanhã, num concerto a realizar-se no Centro Cultural da Universidade Eduardo Mondlane, em parceria com o Conselho Municipal da Cidade de Maputo, no âmbito das celebrações dos 130 anos da Cidade das Acácias.

À imagem do que tem sido habitual, a abertura da primeira série da Temporada de Música Clássica de Maputo traz consigo vários artistas nacionais e internacionais, que, juntos, vão garantir que a sonoridade eduque até os ouvidos mais apurados. Para o efeito, a sessão inaugural conta com W. A. Mozart, num “Eine Kleine Nachtmusik”; com A. Vivald, num “Concerto para dois violinos e cordas em lá menor”; com Hortêncio Langa/Mia Couto, a evocarem “Cidade menina”, entre outros. Não obstante, a primeira noite do Xiquitsi não irá se esgotar apenas naqueles nomes. Afinal, Estevão Chissano, aluno do projecto, vai encher o Centro Cultural da Universidade Eduardo Mondlane com a sua primeira obra musical – uma “Missa” com cinco andamentos: “kyrie, Glória, Credo, Sanctus e Agnus Dei”.

Além de Chissano, outros alunos do Xiquitsi entrarão em cena. São os casos de Yannick Jafar e António Nhancale, ambos no violino. A acompanhar-lhes, nesta celebração à música clássica, estarão Xixel Langa (voz), Kika Materula (direcção orquestral), Carlos Pereira (direcção coral), Orquestra e Coro Xiquitsi, os grupos Santa Cecília, Sociedade Presbiteriana dos Jovens do Khovo e Coro Juvenil Maria Rivier.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401