O País Online - A verdade como notícia

Sábado
22 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Cultura Cultura Duas novas categorias entram na 6ª edição do Vodacom Turma Tudobom

Duas novas categorias entram na 6ª edição do Vodacom Turma Tudobom

Lançada sexta edição do concurso que este ano vai ter categorias de poesia e representação

Poesia e representação? Sim. Para além das conhecidas categorias - canto e dança e olimpíadas académicas - a sexta edição do concurso Vodacom Turma Tudobom adiciona mais duas. Assim, mais estudantes poderão participar neste certame lançado na manhã desta segunda-feira, na Escola Secundária da Manyanga, na Cidade de Maputo.

O teatro (representação) foi apresentado pelo grupo Tsakane, mesmo para mostrar como se vão comportar os próximos momentos. Com certeza, de muitos risos. Foi o que se viu: uma plateia marcadamente de estudantes ao rubro. O grupo trouxe um tipo de peça conhecido, que quando bem representada não deixa de arrancar gargalhadas. É típico do discurso público, em que se faz a tradução em língua local (no caso xichangana), mas distorcendo o conteúdo traduzido. Risos à fartura!

A poesia, essa, foi representada por Amosse Mucavele. O poeta não chegou a ler nenhum dos seus poemas ou poema de outrem. Fez o que a organização acreditou ser mais importante: falar da importância da leitura para o crescimento profissional. E assim foi. “Um público comprometido com a leitura é crítico, rebelde, inquieto, pouco manipulável e não crê em lemas que alguns fazem passar por ideias”, disse Mucavele citando um escritor peruano. Desta forma, iniciava a sua intervenção. “A leitura é um espaço plural, a leitura é uma observação do mundo, a leitura é um olhar transversal do passado, um regresso ao futuro com horizontes alargados, a leitura é um direito à interrogação”, por isso a narrativa do poeta merece destaque no nosso ensino.

A cerimónia que levou cerca de duas horas foi testemunhada pelos representantes do grupo Soico, da Vodacom, do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, da direcção da escola e professores.

Jeremias Langa, representando à Stv, disse que o projecto visa descobrir talentos nas escolas e que as novas categorias vão permitir ainda mais interesse ao evento. “Nosso papel como Stv é essencialmente aquilo que nós sabemos fazer, que é comunicar… levar um evento desta natureza ao país inteiro”.

Lucas Chachine também tomou o pódio e disse que objectivo da Vodacom é complementar os programas do Ministério da Educação, introduzindo outras valências que aumentem a cultura-geral aos estudantes, para que possam competir de igual para igual a nível global.

Em nome do Ministério da Educação falou José Luís Pereira. “Às nossas escolas apoiem vossos estudantes, envolvam-se mais, porque nós queremos fazer desse projecto a nossa marca na educação”.

Não é porque a sexta edição adiciona outras modalidades artísticas que as antigas foram discriminadas. Muito pelo contrário, o Canto e a Dança não deixaram a desejar. Lizha James foi quem mostrou o poder do canto aos estudantes e, ao mesmo tempo, inspirá-los.

A dança, esta, também foi bem representada. Diana Chaúque foi a jovem que enfrentou às câmeras e olhos atentos para mostrar a sua peça. Teve uma actuação solitária, mas digna de aplausos. Para a jovem, os estudantes que quiserem singrar como dançarinos têm apenas que lutar e quando houver barreiras derrubá-las.

Não houve qualquer simbolismo sobre as Olimpíadas Académicas, mas houve sim mensagens que encorajavam os estudantes a estudar muito e a se prepararem para passar de classe e para passar nos castings.

Vencedores serão conhecidos no dia 16 de Dezembro

O Vodacom Turma Tudobom abriu as inscrições, ontem, e o aluno pode procedê-lo enviando um SMS com o código da categoria para o número 843888 (sem nenhum custo), e seguir os passos da operadora.

Os promotores salvaguardam, desde já, a possibilidade de as inscrições serem feitas nas escolas, em caso de inviabilidade da inscrição via SMS, desde que estejam contempladas no concurso. Em Setembro, iniciam os castings nas diferentes escolas de todas as províncias.

As galas regionais iniciam no dia 25 de Novembro, em Nampula. No dia 2 de Dezembro, a gala vai acontecer na Beira e em Maputo no dia 9. As galas nacionais, a serem transmitidas em directo pela Stv, acontecem entre os dias 13 e 16 de Dezembro.

 

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401