O País Online - A verdade como notícia

Sábado
23 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Cultura Cultura “Pequeno Brasil” dança ao ritmo do pandza

“Pequeno Brasil” dança ao ritmo do pandza

Quelimane parou para acolher reencontro da Bang Entretenimento alusivo aos 15 anos da Stv

A cidade de Quelimane parou este sábado para acolher o segundo concerto que marca o reencontro da Bang Entretenimento, alusivo aos 15 anos da Stv. Cor, luz e muita música ao vivo animaram a Marginal do “Pequeno Brasil”. Como retribuição, o público vibrou e cantou com os músicos no concerto a muito aguardado.

Tal como se previa, o espectáculo iniciou com a actuação de músicos locais, muitos dos quais foram influenciados por este grupo que desapareceu dos radares há 10 anos.

O momento mais aguardado pelos machuabos foi inaugurado pela antiga dupla Ziqo e Denny OG. Os dois, como é a tónica do concerto, resgataram os antigos êxitos. Músicas como “Teresinha” e “Casa dois” foram bastante aplaudidas pela assistência que lotou o espaço. Não era para menos, foram necessários 10 anos para este reencontro.

A seguir, com o seu estilo característico, subiu ao palco a Marllen. A Preta Negra não deixou seus créditos em mãos alheias. A sua roupa combinava com a actuação: um cruzamento entre a tradição e a modernidade. Foi por isso que para uma das espectadoras ela foi a artista que mais convenceu, sem com isso reduzir o potencial dos outros músicos.

Cantou-se também o amor. E porque a festa era do pandza a chuva repudiou a música romântica de Doppaz. Mesmo assim o público não se encolheu, cantou com o “king” como são os “Olhos sonhadores”

Para Valdemiro José esta festa tem dois perfeitos sentidos. O primeiro é o facto de a Bang alastrar o seu “reencontro” para outros cantos do país. O segundo, talvez o mais importante, é o facto de estar a cantar em casa. A performance de VJ foi ovacionada pelos seus conterrâneos. Claro, de forma alguma devia decepcionar naquele reduto.

Lá para o fim, Lizha James e Dama do Bling deram o ar do seu “swaag”. As músicas que mostraram o lado irreverente das mulheres foram recordadas. Para os espectadores foi fantástico, tanto é que pedem outro concerto na celebração dos 16 anos da Stv. A festa que teve a parceria da Sétimo Nível terminou às... foi até quase raiar do sol.

Para o edil de Quelimane, Manuel de Araújo, apesar da chuva todos estiveram na Marginal a cantar e vibrar pela música moçambicana. “Quelimane é mesmo assim, é festa, é carnaval, são festivais, é cultura. Por isso estou muito feliz, estão de parabéns os organizadores”, congratulou o edil.

A próxima festa do “Reencontro será na cidade de Nacala. A promessa foi feita por Jeremias Langa, em representação à Stv, televisão que completa em Outubro 15 anos, por isso estes espectáculos.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414