O País Online - A verdade como notícia

Quinta-feira
21 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Cultura Cultura Delmar Gonçalves homenageado em Portugal

Delmar Gonçalves homenageado em Portugal

Escritor moçambicano recebe em Portugal Prémio da Lusofonia em Literatura 2017

Delmar Gonçalves, escritor, fundador e Presidente da Direcção do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora (CEMD), foi homenageado este sábado (2), na primeira gala de homenagem e entrega de prémios da lusofonia, no auditório Rui de Carvalho, em Carnaxide, Lisboa.

Para além da homenagem, Delmar Gonçalves recebeu o Prémio da Lusofonia em Literatura 2017, pelos altos serviços que presta pela cultura de Moçambique em Portugal. “Para mim a homenagem é o reconhecimento do meu trabalho na literatura e pelo que tenho feito em Portugal e pela cultura moçambicana”, disse Gonçalves.

O evento foi promovido pela Associação Solidária Meninos Graúdos, em parceria com a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa – UCCLA e a Confederação Empresarial da CPLP, com o propósito de homenagear e premiar carreiras artísticas de figuras da comunidade lusófona que se têm destacado nos domínios da música, do jornalismo, do teatro, da literatura, da moda e das artes em geral, levando e elevando a língua portuguesa nos cantos mais recônditos do mundo".

Segundo a organização, “o evento pretende realçar o papel de algumas das mulheres e dos homens que melhor representam essa vontade incontrolada de tornar mais competitiva e mais atractiva a imagem da lusofonia em todo o mundo”.

Foram também premiadas e homenageadas figuras, tais como a cantora Celina Pereira, de Cabo Verde, o actor Rui de Carvalho, de Portugal, o embaixador Lauro Moreira, do Brasil, de Angola, o jornalista Gabriel Baget e o poeta Lopito Feijó, o escritor Mário Máximo, de Portugal, o investigador e o escritor Luís Costa, de Timor, entre outras personalidades das artes e do universo de língua portuguesa.

Histórico

Delmar Francisco Maia Barrigas Gonçalves nasceu em Quelimane, província da Zambézia. Nas suas obras usa pseudónimos como Sultan El-Ahmed, Ibn Khan, Zacarias Faztudo e Malfez.

Publicou obras como “Moçambique Novo, o Enigma”, “Moçambiquizando”, “Afrozambeziando Ninfas e Deusas”, “Mestiço de Corpo Inteiro” e “Entre dois rios com margens”.

O escritor destacou-se como divulgador da literatura moçambicana no estrageiro, organizando recitais de poesia moçambicana, publicando obras de autores moçambicanos que vivem em Moçambique e no estrageiro, promove distinções de moçambicanos nos prémios que vão surgindo em Portugal e Brasil, convida moçambicanos a publicarem nas edições CEMD (Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora) e na Editorial Minerva. “Faço sempre questão de indicar autores moçambicanos”, afirmou Gonçalves.

Venceu vários prémios em nome de Moçambique como o Ferreira de Castro, Karingana wa Karingana, La Atrevida, CEMD e FEMINA. Em 2006, ganhou o galardão de Literatura África Today, e, em 2008, o prémio Kanimambo da Casa de Moçambique.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414