O País Online - A verdade como notícia

Sábado
29 de Abril
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Desporto Desporto “Fizemos renascer o futsal, precisamos ser acarinhados”, Inácio Sambo

“Fizemos renascer o futsal, precisamos ser acarinhados”, Inácio Sambo

Sambo enaltece trabalho da Federação Moçambicana de Futebol na promoção de cursos de formação

Referência obrigatória no futsal, Inácio Sambo foi assessor técnico da selecção nacional que ano passado ocupou o terceiro lugar no Campeonato Africano, na África do Sul, e conseguiu a inédita qualificação para o Campeonato do Mundo, na Colômbia.

Primeiro presidente da Comissão Instaladora do futsal e ex-seleccionador nacional, Sambo instalou-se em 2011 na província de Manica, Centro do país, onde tem estado a desenvolver um trabalho que visa a lapidação de novos valores da modalidade. Aliás, orgulha-se de a província de Manica ombrear hoje com a cidade de Maputo, epicentro da modalidade, sendo que o exemplo foi o segundo lugar alcançado ano passado pelo Clube Desportivo do Chimoio no Campeonato Nacional. Mais: o facto de três jogadores que evoluem em Manica, nomeadamente, Lamarques, Wild e Calton, terem sido convocados para a selecção nacional.

Fazendo uma avaliação do estágio actual da modalidade, Sambo disse que “registou melhorias significativas” depois de um período – três anos – menos bom em que o Campeonato Nacional não se realizou. Sambo enaltece o trabalho da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) na promoção de cursos de formação que “elevam o nível competitivo e conhecimento dos treinadores”. Defende, no entanto, que a acção de formação deve “ser levada a outros pontos do país, onde existem sinais claros de crescimento da modalidade para se melhorar a qualidade dos treinadores e atletas”. E acresceu: Como se vê, neste momento, Manica vem a seguir a Maputo no futsal. Quando cheguei a Manica, depois de uma fase em que o ‘Nacional’ foi interrompido de 2009 a 2012, fizemos renascer a modalidade. Há um trabalho sério que foi feito, que culminou com a qualificação de Moçambique para o Mundial da Colômbia. Há muita adesão e, neste momento, o que temos que fazer é continuar a trabalhar arduamente. Veja que nós temos o fustal a ser praticado nos distritos e, depois, passamos para a fase provincial, e vem o apuramento nacional”, destacou.

Recordou, por outro lado, o Campeonato Nacional de futsal realizado ano passado, no Chimoio, prova em que o Clube Desportivo do Chimoio perdeu na final diante do Grupo Desportivo Iquebal, por 5-4. “Evoluímos de tal forma que, durante o ‘Nacional’, demos muita réplica aos representantes de Maputo. E veja que durante a competição o pavilhão esteve sempre cheio. Há muitas pessoas que não conseguiram ver os jogos porque o recinto estava lotado. Os miúdos tem que ser acarinhados. Precisam de conforto e apoio moral. Penso que seria muito bom que algumas estruturas desportivas do país tivessem marcado presença na prova tal como aconteceu com o “Nacional” de voleibol e outras provas em que a vice-ministra da Juventude e Desportos lá esteve”, observou.

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -28-04-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 


 

EQUIPAANO
Ferroviário da Beira 2014
Ferroviário da Beira2013
Liga Muçulmana2012
Ferroviário De Maputo 2011
Maxaquene2010
Ferroviário De Maputo2009
Atlético Muçulmano2008
Costa Do Sol 2007
Desportivo De Maputo2006
Ferroviário Da Beira2005
Ferroviário De Maputo2004
Ferroviário De Nampula2003
Costa do Sol2002
Maxaquene2001
Costa do Sol2000
Edição Impressa 395