O País Online - A verdade como notícia

Segunda-feira
26 de Junho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Desporto Desporto Patrocinadores ainda não desembolsaram outra parte da verba para logística do Moçambola

Patrocinadores ainda não desembolsaram outra parte da verba para logística do Moçambola

LMF ainda não tem dinheiro suficiente para levar o Moçambola ZAP até ao fim

A Liga Moçambicana de Futebol (LMF) ainda não tem dinheiro suficiente para levar o campeonato nacional, Moçambola Zap, até ao fim. Alguns patrocinadores da LMF não desembolsaram o dinheiro à instituição. Entretanto, a partir da segunda volta, a logística poderá passar para os clubes. A informação foi avançada ontem, quinta-feira, pelo órgão que gere a prova.

A Liga Moçambicana de Futebol disse em conferência de imprensa que ainda não recebeu todo o valor para levar o campeonato até ao fim, mas garante que fará de tudo para que haja jogos.

“Nós temos compromissos assumidos, mas infelizmente a Liga Moçambicana de Futebol ainda não recebeu os valores para dar continuidade ao campeonato nacional”, avançou Ananias Couana.

Mais adiante Couana acentuou: “Tivemos o desembolso de apenas três patrocinadores para esta época. Podem verificar que a Liga tem feito um esforço para que o campeonato nacional possa decorrer. Os valores foram canalizados à LAM. Outros serviram para pagar as taxas aeroportuárias e também o pagamento dos árbitros, bem como o pagamento de algumas estâncias hoteleiras que temos alguns compromissos com eles.

Ananias Couana considera que a LMF está numa situação financeira não boa “é um esforço muito grande que a Liga está a fazer, de modo que possamos ter um campeonato nacional”.

Em relação aos atrasos nos voos, o director executivo da Liga Moçambicana de Futebol, Marcelino Tovela, aponta a culpa às Linhas áreas de Moçambique. “Preparámos a logística com um mês de antecedência, tendo em conta as marcações dos jogos. Enviámos a solicitação à LAM e, por sua vez, a LAM nos envia as reservas feitas com 15 dias de antecedência. E de acordo com os bloqueios que a LAM faz, produzimos os programas logísticos que são enviados aos clubes. Muita das vezes, o que tem acontecido nas últimas jornadas, a LAM tem tido problemas sérios dos aviões, que têm atrasos ligeiros”, explicou Tovela.

O director executivo da LMF, falou do caso do Textáfrica que vai a Nampula para defrontar o Ferroviário local “tivemos o retorno ontem, mas solicitamos as reservas há mais de 15 dias. A LAM não tem tido aviões para fazer face à procura, que é maior que a oferta. Enviar-nos os bloqueios, acontece que o Textáfrica tem jogo no dia 23 e teria que sair hoje (quinta-feira), é a única saída que a LAM teve. Vai via terrestre para Beira, depois a Maputo, mais tarde para Nampula. Conversámos com o Textáfrica e aceitou o percurso terrestre de Chimoio para Nampula”.


 

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-06-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 


 

EQUIPAANO
Ferroviário da Beira 2014
Ferroviário da Beira2013
Liga Muçulmana2012
Ferroviário De Maputo 2011
Maxaquene2010
Ferroviário De Maputo2009
Atlético Muçulmano2008
Costa Do Sol 2007
Desportivo De Maputo2006
Ferroviário Da Beira2005
Ferroviário De Maputo2004
Ferroviário De Nampula2003
Costa do Sol2002
Maxaquene2001
Costa do Sol2000
Edição Impressa402