O País Online - A verdade como notícia

Domingo
24 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Desporto Desporto Caifaz em destaque na vitória da A Politécnica sobre Ferroviário da Beira

Caifaz em destaque na vitória da A Politécnica sobre Ferroviário da Beira

Milton Caifaz foi melhor cestinha do jogo com 20 pontos

A Politécnica venceu, hoje, o Ferroviário da Beira, por 75-68, em jogo da quarta jornada da Liga Moçambicana de Basquetebol Mozal. Esta foi a segunda derrota dos vice-campeões nacionais nesta competição.


O filme do jogo

Com as duas equipas a apostarem em defesas homem a homem na sua área restritiva, o primeiro quarto foi disputado sob o signo do equilíbrio. A A Politécnica, com Milton Caifaz em bom plano no tiro exterior, melhor na quadra. Os “universitários” conseguiam, por outro lado, dominar nas tabelas ressaltos ofensivos, ganhando, desta forma, as segundas bolas. Ao nível defensivo, Inélcio “Chirinho” Chire e Dércio “Dado” Mula desgastaram Octávio Magoliço e Elton Ubisse. No final do primeiro quarto, o marcador indicava 15-13, vantagem para os universitários.

No segundo período, Nazir Salé, treinador do Ferroviário da Beira, fez algumas alterações na sua equipa. O sérvio Bojan Seckiki passou para a posição um, em troca com o experimentado André “Papaíto” Velasco. Melhorou, em termos de capacidade de explorar ataques perto dos 24 segundos, o conjunto de Nazir Salé. Nesta etapa, tanto Octávio Magoliço quanto Elton Ubisse, impuseram-se nas tabelas. Mas, do outro lado, Milton “Mitó” Caifaz estava “onfire” com tiros exteriores colocando em cheque a defesa a zona 3-2 adoptada pelo seu adversário. Ainda assim, nesta etapa do jogo, os vice-campeões nacionais tiveram maior esclarecimento ofensivo e foram para o intervalo a vencer por 30-29.

 Voltou melhor para o terceiro período a A Politécnica que, com uma defesa homem a homem, dificultou a acção ofensiva dos “locomotivas”, sobretudo, ao nível do jogo interior. Ofensivamente aberta, a A Politécnica soube explorar transições em contra –ataques. Forçou, e como, o Ferroviário da Beira a várias situações de crise de tempo, ou seja, a esgotar o seu tempo de ataque sem eficácia.

Mais fortes nas tabelas, os “universitários” continuaram a ser mais fortes no seu jogo exterior e, no final do terceiro quarto, venciam por uma diferença de dois pontos: 49-47.

No quarto e decisivo período, o Ferroviário da Beira apostou numa defesa a toda largura do campo, mas este mostrou-se forte ao nível das tabelas. 

E, a espaços, aumentou a sua vantagem para dez pontos, conseguindo depois fazer a gestão do tempo mesmo sob pressão do Ferroviário da Beira. No final, a A Politécnica venceu por 75-68, alcançado a sua terceira vitória na competição.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 


 

EQUIPAANO
Ferroviário da Beira 2014
Ferroviário da Beira2013
Liga Muçulmana2012
Ferroviário De Maputo 2011
Maxaquene2010
Ferroviário De Maputo2009
Atlético Muçulmano2008
Costa Do Sol 2007
Desportivo De Maputo2006
Ferroviário Da Beira2005
Ferroviário De Maputo2004
Ferroviário De Nampula2003
Costa do Sol2002
Maxaquene2001
Costa do Sol2000
Edição Impressa414