O País Online - A verdade como notícia

Segunda-feira
23 de Outubro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Desporto Desporto "O meu sonho é jogar na WNBA"

"O meu sonho é jogar na WNBA"

Sílvia Veloso vai representar Seward County Community College nos EUA

Reza a história do basquetebol moçambicano que apenas, e apenas mesmo, uma atleta disputou a ambicionada e fantástica WNBA, versão feminina da NBA, Liga Profissional de Basquetebol dos EUA. Seu nome? Clarisse Eulália Machanguana, super-profissional tratada carinhosamente por "Match" na terra do Tio Sam. Ela, Clarisse Machanguana, que partiu da União de Santarém (Portugal) para a universidade de Old Dominion e depois selecionada no "draft" da WNBA, em 1999, pelas Los Angeles Sparks, tendo depois representado as Charlotte Sting e Orlando Miracle.

Um grande exemplo para as novas gerações que pretendem atingir o seu nível. E, um dos novos valores do basquetebol moçambicano que não só a admira como também quer singrar nos EUA, é a extremo-base Sílvia Veloso que está de malas aviadas para representar o Seward County Community College. Fã confessa de Clarisse Machanguana, a atleta diz que vai lutar para um dia concretizar o sonho de jogar na WNBA. " Estou muito feliz. É uma oportunidade muito grande que eu tenho para apreender ainda mais sobre o basquetebol e evoluir visto que, os EUA, são uma referência. É um sonho que vou realizar. Agora, vou lutar para alcançar um dos meus grandes sonhos que passa por jogar na WNBA", começou por dizer Veloso.

Com os olhos quase a ganharem o azul do mar, entenda-se, até pela emoção de poder jogar num país referência na modalidade da bola ao cesto, Veloso faz uma pausa e respira fundo. Segundos depois, já deixa ficar algumas promessas que, de resto, vão ao encontro das suas características dentro da quadra: " As pessoas podem esperar por uma jogadora lutadora e batalhadora. Vou trabalhar arduamente porque vou aos EUA para melhorar e voltar para ajudar o meu país", precisou.

O Seward County Community College, no Estado do Texas, tem sido talismã para as basquetebolistas moçambicanas. É mister dizer que Ana Flávia Azinheira, Deolinda Carmen Ngulela, Tamara Seda, Neide Ocuane e Ilda Chambe, a menina duplo-duplo, espalharam o seu perfume aquando da sua passagem pelo SCCC. Mais do que o peso da referência que se tem da qualidade das basquetebolistas moçambicanas, Veloso ambiciosa deixar também a sua marca. " É muita pressão. É uma responsabilidade muito grande, uma vez que lá desenvolveram grandes jogadoras moçambicanas. Então, eu também tenho que trabalhar estar no nível delas", ambiciona, a extremo-base. Sobre o Campeonato Africano de Basquetebol feminino sub-16, prova que decorre desde sábado no pavilhão do Ferroviário da Beira, a craque diz que Moçambique está em condições de alcançar uma boa posição na competição, até porque, recorda, "há muitos talentos e potencial ao nível dos femininos. Temos que acreditar e lutar. Estão cá grandes equipas de países com tradição no basquetebol. Temos o Mali e o Egipto que tem um basquetebol um bocado superior ao nosso", analisou a melhor marcadora do "Afrobasket" feminino de sub-16, em 2016, no Cairo, Egipto. E, sem pestanejar, acresceu: "Mas nós temos que acreditar que tudo é possível. Temos que lutar até o fim. Há jogos em que temos que determinar que temos que ganhar", indicou.

Sílvia Veloso apelou ainda a todos intervenientes do basquetebol moçambicano a envidarem esforços no sentido de se apostar mais na formação: "Nós não olhamos muito para a formação e isso se reflecte nas nossas selecções. E é da formação que saem os grandes jogadores". Mais não disse.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -23-10-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 


 

EQUIPAANO
Ferroviário da Beira 2014
Ferroviário da Beira2013
Liga Muçulmana2012
Ferroviário De Maputo 2011
Maxaquene2010
Ferroviário De Maputo2009
Atlético Muçulmano2008
Costa Do Sol 2007
Desportivo De Maputo2006
Ferroviário Da Beira2005
Ferroviário De Maputo2004
Ferroviário De Nampula2003
Costa do Sol2002
Maxaquene2001
Costa do Sol2000
Edição Impressa420