O País Online - A verdade como notícia

Segunda-feira
29 de Maio
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia

Economia

Défice orçamental dos EUA atinge valor “recorde”

Défice orçamental dos EUA atinge valor “recorde”

Os EUA registaram um défice orçamental de 956,8 mil milhões

Ler mais...
Irão defende preço do barril entre 75 e 80 USD

Irão defende preço do barril entre 75 e 80 USD

O ministro do petróleo iraniano, Gholam Hossein Nozari, manifestou-se

Ler mais...
BM mantém intensidade das intervenções nos mercados intercâmbiarios

BM mantém intensidade das intervenções nos mercados intercâmbiarios

A decisão foi tomada durante a quarta sessão ordinária.

Ler mais...

Arnaldo Bimbi promete combate contra corrupção

Falando em representação dos governadores do Norte, Arnaldo Bimbi prometeu mais atenção ao sector de infra-estruturas e perseguir todos aqueles que travam a melhoria do ambiente de negócios naquela região, em particular agentes do Estado corruptos. O Governador de Niassa, Arnaldo Bimbi, diz que o sector das infra-estruturas está a ter a devida atenção do Estado, mas reconhece que ainda há muito por fazer, sobretudo na província que dirige. Arnaldo Bimbi prometeu, por outro lado, perseguir os agentes corruptos do Estado que inviabilizam e desacreditam o sistema. A Conferência do Sector Privado Norte terminou última sexta-feira, em Cuamba, Niassa. Segue-se a conferência das zonas sul e centro, sendo que esta última terá lugar entre 24 e 25 de Abril corrente.

Empreiteiros agastados com preço de cimento

Empreiteiros agastados com preço de cimento

Os empreteiros da província de Niassa estão agastados com o elevado custo do preço de 50 kilograma de cimento ao nível daquele ponto do país, devido as dificuldades que enfrentam para construir qualquer tipo de infa-estrutura, o preço de cimento chega a custar 2 a 3 vezes mais em Niassa.

Ler mais...
Sector privado pede redução de Impostos

Sector privado pede redução de Impostos

Foi durante a IV Conferência do Sector Privado Norte realizado em Cuamba.

Ler mais...
Brasil vai emprestar 4,5 mil milhões USD ao FMI

Brasil vai emprestar 4,5 mil milhões USD ao FMI

O Governo brasileiro aceitou o convite do Fundo Monetário Internacional (FMI) para se tornar credor da instituição,

Ler mais...

Governo aliena três mil cantinas rurais

O Governo moçambicano vai alienar cerca de três mil cantinas localizadas nas zonas rurais de todo o país.

Ler mais...
Paraísos fiscais: OCDE responde às críticas da Suíça

Paraísos fiscais: OCDE responde às críticas da Suíça

A Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE) lamentou

Ler mais...
Governador de NY anuncia 7 mil despedimentos para evitar falência

Governador de NY anuncia 7 mil despedimentos para evitar falência

Deverão ser suprimidos milhares de postos de trabalho

Ler mais...
BM injectou 245 milhões USD para assegurar estabilidade do metical

BM injectou 245 milhões USD para assegurar estabilidade do metical

O (BM) injectou 245 milhões de dólares, de Janeiro a Março de 2009.

Ler mais...

Receitas longe das metas devido à fuga ao fisco

O director regional sul das Alfândegas de Moçambique, Gonçalves Mandava, informou ontem, à margem de uma  conferência de imprensa realizada em Maputo, que a instituição tem envidado esforços, visando o combate ao contrabando, o principal acto que limita o alcance das metas das receitas. Durante as operações de fiscalização em curso, que cobrem  cerca de 3.5 quilómetros de área fronteiriça, foram diagnosticadas perdas de receitas relativas a vários produtos, dos quais, a cerveja cuja perda é avaliada em cinco milhões de meticais por semana, resultantes da fuga ao fisco. No decorrer dos últimos 45 dias, as receitas potenciais estavam orçadas  em 1.184.390 meticais, mas  pouco menos de metade do valor é que foi conseguido. Dentre os vários actos ilícitos que as alfândegas têm combatido, destaca-se a sabotagem da rede que faz fronteira entre Moçambique e o Reino da Suazilândia, no local usado pelos contrabandistas como corredor pelo qual introduzem os seus produtos no país, fugindo ao fisco. “Operação Páscoa” Na ocasião, foi anunciada a existência da “Operação Páscoa”, iniciada terça-feira passada, dia 8  de Abril e cujo término está previsto para dia 14  do corrente mês. O projecto foi criado por se prever um aumento do fluxo de pessoas e bens, nas fronteiras, durante a Páscoa, o que levou ao reforço do efectivo de segurança, em mais 25 elementos, para além do actual número não especificado, nas fronteiras, operando num regime de 24 horas sem interregno. “Operação legalidade” Em paralelo, decorre a “operação legalidade” que visa disciplinar a importação de viaturas e a sua  legalização. Deste modo,  do registo de 1.082 viaturas importadas, estava planificada a arrecadação de uma receita de 40.601.534,00 meticais, mas somente 23.930.544,20 meticais é que foram colectados, um valor correspondente a 58,94%. O não alcance das metas deriva em grande medida da não adesão à iniciativa por parte dos importadores de viaturas, e pelo facto da maior parte das viaturas estar em péssimas condições de conservação, o que pressupõe o pagamento de um valor reduzido da taxa aduaneira.

Niassa poderá ter fábrica de cimento

Niassa poderá ter fábrica de cimento

 Bimbe, revelou que há dois investidores  interessados.

Ler mais...
Euro em queda face ao dólar

Euro em queda face ao dólar

O euro esteve esta quinta-feira em queda face ao dólar,

Ler mais...

Alfândegas apreendem bebida contrabandeada

As autoridades alfandegárias de Moçambique apreenderam 2.481 caixas

Ler mais...
Alemanha: Taxa de inflação regista queda histόrica

Alemanha: Taxa de inflação regista queda histόrica

Registaram-se descidas de 22,3 % em produtos derivados do petróleo.

Ler mais...
Economia da RSA pode registar outro crescimento negativo

Economia da RSA pode registar outro crescimento negativo

África do Sul caiu 1,8 por cento no último trimestre.

Ler mais...
Moçambique recebe ajuda do BAD

Moçambique recebe ajuda do BAD

Trata-se de uma ajuda orçada em cerca de dois milhões de dólares.

Ler mais...
Promessas de ajuda devem começar ser cumpridas

Promessas de ajuda devem começar ser cumpridas

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, defendeu esta quarta-feira em Bruxelas que os compromissos adoptados há uma semana pelo G20 relativamente aos países em desenvolvimento devem começar a ser efectivamente implementados, apesar da crise. "Afirmei-o antes do G20, afirmei-o na reunião do G20 e volto a repeti-lo: a recessão não deve, não pode e não será utilizada como pretexto para faltarmos às nossas promessas de aumentarmos a ajuda", declarou o presidente da Comissão, acrescentando que "os menos responsáveis pela crise financeira são os mais afectados pelas suas consequências económicas". José Manuel Durão Barroso falava numa conferência de imprensa em Bruxelas, por ocasião da adopção, pelo "seu" executivo, de uma comunicação que perspectiva a forma como a Europa pode, desde já, apoiar os países em desenvolvimento a fazer face à crise. Sublinhando que, menos de uma semana após a Cimeira de Londres, a Comissão Europeia é a primeira a agir, com a adopção de um conjunto de medidas que a UE pode tomar desde já para ajudar os países em desenvolvimento a ultrapassar a actual crise económica, Durão Barroso frisou a necessidade de "assegurar que todas as decisões são implementadas". "A Europa é de longe o principal doador de ajuda no mundo e esta tendência está a acentuar-se. Percorremos já mais de metade do caminho até à meta de 2015 para a realização dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio das Nações Unidas e algumas das conquistas alcançadas até agora estão em risco, o que poderá colocar os países pobres numa situação ainda mais difícil do que antes da crise", disse. A comunicação hoje adoptada pela Comissão começa por defender a necessidade de a UE manter as suas promessas, lembrando designadamente a "promessa colectiva, apresentada na Cimeira do G8 em Gleneagles em 2005", de a ajuda atingir 0,56 por cento do RNB (Rendimento Nacional Bruto) da UE em 2010, o que "libertaria um montante suplementar de 20 mil milhões de euros", aumentando de 49 mil milhões de euros em 2008 para 69 mil milhões de euros em 2010. O executivo comunitário defende também que se deve "antecipar e reorientar os compromissos a favor dos mais vulneráveis" e aponta que está a adiantar um montante de 3 mil milhões de euros, ou seja, 72 por cento do seu orçamento previsto para os países da África, das Caraíbas e do Pacífico, "garantindo desta forma que as despesas sociais não são suprimidas quando são mais necessárias". A Comissão recorda também o programa de "facilidade alimentar" que adoptou, ainda antes do G20, no valor de mil milhões de euros, dos quais 800 milhões de euros serão disponibilizados este ano. Por fim, o executivo apela para uma coordenação nos esforços desenvolvidos entre todos os Estados-membros para tornar a ajuda europeia mais eficaz, defendendo que um trabalho em conjunto entre os 27 e a Comissão pode resultar em "verdadeiros ganhos de eficiência, explorando ao máximo cada euro consagrado à ajuda e servindo de modelo para outros a nível mundial". "As primeiras estimativas constantes de um estudo encomendado pela Comissão Europeia revelam que poderemos libertar um montante até 7 mil milhões de euros por ano se melhorarmos a eficácia da ajuda e aplicarmos os princípios já adoptados em 2008", sustenta o executivo.

Investidos 170 milhões USD na produção de Etanol

Investidos 170 milhões USD na produção de Etanol

Este aumento será resultado do incremento, em 37 por cento, da área de produção de cana sacarina e do melhoramento do rendimento agrícola previsto para 2009, que poderá aumentar em cerca de 21 por cento.

Entenda como a crise afecta cada país do G20

Entenda como a crise afecta cada país do G20

Veja como cada país do G20 se ressente da crise. 

Ler mais...
Página 328 de 330

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -29-05-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa 398