O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
23 de Abril
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia Economia Moçambique vai adoptar modelo digital europeu DVB-T2

Moçambique vai adoptar modelo digital europeu DVB-T2

Migração do analógico para digital

A adopção do modelo digital europeu é ainda o princípio de um processo que deve culminar com a digitalização até 2015, como é recomendado internacionalmente. A boa nova é que ainda este ano poderão ser transmitidos experimentalmente dados televisivos e radiofónicos no sistema digital.

Está decidido. Moçambique vai usar o modelo europeu - Digital Vídeo Broadcasting (DVB-T2)- na migração do analógico para digital e cai por terra todo o alarido em torno da possível adopção do sistema digital nipónico-brasileiro. De acordo com o director-geral do Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM), Américo Muchanga, ainda em 2011 deverão decorrer acções concretas no sentido de se instalar a infra-estrutura necessária para a migração do analógico para o digital. Aliás, Muchanga aventa a hipótese de no ano em curso haver uma transmissão experimental de imagens televisivas digitais.

Para o efeito, o ministro dos Transportes e Comunicações, Paulo Zucula, deverá designar uma comissão intersectorial, entre esta e próxima semana, que se vai encarregar de desenhar a estratégia da passagem do actual sistema de transmissão de dados televisivos e de rádio analógico para digital. “Esta comissão é que vai analisar se será necessário uma ou duas empresas para gerir o sistema de transmissão da rede digital que se pretende”, avançou Muchanga.   

Assim, Moçambique acena positivamente a recomendação dos ministros das telecomunicações dos membros da Comunidade de Países da África Austral (SADC), saída na conferência de Lusaka, em Novembro de 2010, segundo a qual os estados deviam adoptar o modelo digital europeu DVB-T2, podendo optar por outros modelos se justificar pertinente para os mesmos.

É que as decisões a nível da SADC não unilaterais, ou seja, os estados não são obrigados a cumprir à risca com as recomendações que saem dos encontros que juntam os países membros. Angola, por exemplo, prefere adoptar o modelo nipónico-brasileiro. Os países da região correm contra o relógio, na medida em que o organismo internacional de transmissão de dados digitais sugere que até 2015 todos os países devem ter adoptado a tecnologia digital nas suas operações de rádio e televisão.  

Países como Tanzania e África do Sul estão adiantados no processo de digitalização da forma de transmissão de dados televisivos e radiofónicos a nível da África Austral, onde as Ilhas Maurícias já possuem cerca de 90% de digitalização do país.

Custos com a digitalização

Para o director-geral do INCM, é prematuro avançar números sobre quanto será necessário investir neste processo, porque há valores que sairão das famílias e instituições no processo de adaptação dos equipamentos ao sistema digital. Só que o maior encargo irá para empresa que fará a instalação e gestão da rede de transmissão digital.

Leia mais na edição impressa do «Jornal O País»

 

publicidade

Moeda

Compra

Venda

DolarUSD30,30 30,92
Rand ZAR 2,85 2,91
EuroEUR42,2543,11
LibraGBP50,5651,58
IeneJPY0,29920,3052
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Edição Impressa - O País Económico

Edição Impressa 237