O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
28 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia Economia Preços de transporte aumentam em breve nas cidades de Maputo e Matola

Preços de transporte aumentam em breve nas cidades de Maputo e Matola

Tarifa do transporte de passageiros irá aumentar para viabilizar negócio das transportadoras

O novo modelo de subsídio de transportes é criado a pedido da Federação Moçambicana das Associações dos Transportes Rodoviário – FEMATRO. A organização admite que o anterior subsídio não era benéfico tanto para os transportadores, como para os utentes.

“Esta proposta de mudança de subsídio, que é pago em valores monetários aos transportadores para a aquisição de meios, é da FEMATRO. Porque chegamos a conclusão de que o dinheiro que está a ser pago aos operadores não trazia resultados visíveis nem para os operadores, nem para os passageiros, muito menos para o Governo que é o dono do dinheiro”, disse o presidente da FEMATRO, Castigo Nhamane.

O responsável explica que a organização fez o pedido procurando melhores condições. “Se não estivéssemos satisfeitos, não teríamos assinado este memorando com o Governo”, disse Nhamane, tendo prometido que em breve as condições de transporte serão melhores com a entrada dos 300 autocarros.

O Governo assume que haverá, em breve, aumento de preços dos transportes rodoviários de passageiros na cidade e província de Maputo. A tarifa do transporte de passageiros irá aumentar nas rotas das cidades de Maputo e Matola, assim como Boane e Marracuene. Pretende-se com o reajuste tornar o negócio das transportadoras viável. As propostas de revisão tarifária ainda estão em discussão e serão apresentadas em breve, informa o ministro dos Transportes e Comunicações.

“Muito provavelmente e tudo indica que sim, deverá haver alguns reajustes tarifários. Há reconhecimento de que as tarifas actualmente em vigor, de sete e nove meticais, estão muito abaixo dos custos de transportes, pelo que devem ser ajustadas, mas isso merecerá a devida apreciação, decisão e discussão por parte dos vários órgãos competentes”, diz Carlos Mesquita.

Uma pessoa muito próxima do processo de discussão das tarifas que deverão entrar em vigor informou ao “O País Económico” que as propostas já estão praticamente aprovadas e que poderão entrar em vigor, logo que chegar o primeiro lote de 50 autocarros que deverão chegar a Maputo em 45 dias, no âmbito do novo modelo de subsídio ao transporte.

Uma subida dos preços de transportes poderá agravar o custo de vida da população que já é considerado alto.

Actualmente, o transporte de passageiros custa entre sete a nove meticais, uma tarifa que apesar de ser considerada baixa, tem penalizado muitos utentes dos transportes de passageiros, já que se têm deparado, várias vezes, com os encurtamentos de rotas e são obrigados a fazer várias ligações para chegarem aos seus destinos, situações que tornam automaticamente o transporte urbano muito caro. O Governo promete reforçar as medidas de fiscalização para reduzir o sofrimento da população.

Estas decisões surgem dias depois de o Chefe de Estado, Filipe Nyusi, ter visitado empresas tuteladas pelo Ministério dos Transportes e Comunicações e de não ter gostado daquilo que viu em termos de gestão e profissionalismo. O Presidente da República visitou a Empresa Municipal de Transportes de Passageiro, na cidade de Maputo, as Linhas Aéreas de Moçambique, entre outras repartições do ministério.

 

 


 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -28-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401