O País Online - A verdade como notícia

Sábado
22 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia Economia Relatório da Kroll deve servir de lição para Governo melhorar transparência

Relatório da Kroll deve servir de lição para Governo melhorar transparência

Maleiane aguarda com grandes expectativas a divulgação do relatório da Kroll

Embora o conteúdo do relatório da auditoria às polémicas dívidas da Ematum, ProIndicus e MAM não seja do conhecimento público, o Governo tem expectativas sobre o documento, e diz que as possíveis recomendações devem servir de ensinamento para que o Executivo faça uma gestão clara das suas contas.

Adriano Maleiane pronunciou-se, ontem, sobre a matéria e diz que tal como qualquer moçambicano, o seu Executivo espera com grandes expectativas a divulgação do documento produzido pela Kroll. “Isto é mais um passo para tornar mais transparente os actos de governação. Esperamos que algumas recomendações que vierem, ajudem este Governo a melhorar a transparência”, disse o governante, numa curta comunicação ao jornal O País, à margem de uma reunião do sector de estradas, que dirigiu na capital do país, em representação do ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Carlos Bonete.

Neste momento, o relatório da Kroll sobre a auditoria às dívidas polémicas está na posse da Procuradoria-Geral da República, sem data para a sua divulgação.

Maleiane falou, também, do ponto de situação da renegociação das dívidas da ProIndicus e MAM, iniciada no ano passado, e diz que o processo ainda não está fechado. “O processo continua e precisamos tê-lo concluído o mais breve possível, porque faz parte do programa que temos para discutir com o Fundo Monetário Internacional, no sentido de termos o próximo programa”, explica o dirigente do pelouro das finanças.

A empresa MAM falhou a sua primeira prestação em Maio de 2016, tendo o Governo anunciado, na altura, que está em renegociação, a dívida da empresa. Já a ProIndicus falhou, a 21 de Março de 2017 o pagamento da sua segunda prestação. As duas empresas contraíram dívidas de pouco mais de 1.1 bilião de dólares norte-americanos, com o aval do Governo, mas sem o conhecimento da Assembleia da República e do Fundo Monetário Internacional.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401