O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
18 de Agosto
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia Economia PME desafiadas a aproveitar oportunidades em Nampula

PME desafiadas a aproveitar oportunidades em Nampula

Parceiros do projecto 100 Melhores PME consideram que iniciativa visa estimular surgimento de mais empreendedores nacionais

As Pequenas e Médias Empresas (PME) de Nampula foram desafiadas a aproveitarem as potencialidades existentes na província para estimularem e desenvolverem os seus negócios, aproveitando também os mega-projectos para a criação de alianças.

O desafio foi imposto no lançamento do concurso 100 Melhores PME em Nampula, que acolheu a primeira cerimónia a nível provincial. O concurso que distingue as 100 melhores pequenas e médias do país e que está na sua sexta edição, tem como lema: “Fortalecer as cadeias de valor de conteúdo nacional”, visa impulsionar o crescimento das PME para torna-las mais fortes e flexíveis, de forma a responderem aos desafios dos grandes projectos.

“Fortalecer as cadeias de valor de conteúdo nacional e tornar as PME mais fortes e flexíveis para responder aos desafios dos grandes projectos que se vão concretizar proximamente e aqueles já implementados permitem às pequenas e médias empresas que participem na cadeia de valor, desde que se ajustem às exigências, percebam o potencial e a dimensão que devem comportar para participar neste processo de desenvolvimento”, explicou Aniceto Manhique, representante do grupo Soico, organizador do concurso. 

O representante do grupo Soico destacou ainda a importância das empresas aproveitarem o concurso para se exibirem apresentando os seus serviços e produtos, gerando mais riquezas para a província que até então é tida como a mais populosa do país.

Norberto João, director provincial da Indústria e Comércio, faz referência que a aposta nas PME vai ajudar na diversificação da economia nacional, aumentando, deste modo, a produção nacional.

“Esta é a época das PME não só porque elas representam a maioria do universo das empresas no país, mas porque são elas que dinamizam, estruturam e impulsionam a economia. A busca actual pela diversificação da economia, sobretudo, centrada nos sectores produtivos tem nas PME o braço de inclusão”, disse o governante.

Nesta edição, serão atribuídos certificados de qualidade para os três primeiros colocados, como forma de facilitar a ligação com os grandes projectos e as multinacionais.

“Nesta edição, introduzimos a certificação de qualidade para os três principais vencedores. Este é um factor determinante para a ligação aos grandes projectos, refiro-me aos projectos de mineração de gás entre outros”, referenciou José Libombo, director geral-adjunto do Instituto de Promoção das Pequenas e Médias Empresas (IPEME).

O concurso 100 Melhores PME é organizado pelo grupo Soico e o IPEME, tendo a parceira do BCI, Indico Seguros, da Ordem dos Contabilistas e Auditores de Moçambique (OCAM), e Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA). A iniciativa pretende distinguir as PME e promover as boas pratica no sector empresarial. 

Iniciativa expõe as PME ao mercado nacional

Os parceiros do projecto 100 Melhores PME consideram que a iniciativa dá visibilidade ao trabalho efectuado por este grupo e estimula o surgimento de mais empreendedores nacionais. Os parceiros alertam aos agentes económicos que é necessário uma melhor organização das empresas, de forma a garantirem a capitalização de oportunidades. Por outro lado, reconhecem que o caminho a ser percorrido pelas PME não será fácil, mas se as mesmas conseguirem identificar oportunidades, conseguiram lograr grandes feitos. 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -17-08-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa410