O País Online - A verdade como notícia

Sábado
23 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia Economia Empresários portugueses buscam parcerias em agro-negócio

Empresários portugueses buscam parcerias em agro-negócio

NERSANT quer estabelecer parcerias com empresários nacionais nas áreas da indústria serviços e agroindústria

A NERSANT, Associação Empresarial da Região de Santarém, em Portugal, organizou, ontem, em Maputo, uma exposição para divulgar os produtos e serviços dos empresários filiados a organização e estabelecer parcerias com empresários nacionais. O presidente da comissão executiva (PCE) da NERSANT, António Campos, diz que a organização que preside tem interesses nas áreas da indústria, serviços e agroindústria. “Nós trabalhamos junto da indústria, agroindústria, construção civil, serviços a metalomecânica. Pelo que, são áreas muito fortes e é por aí que pretendemos entrar no mercado moçambicano, e acreditamos que exista potencial no mercado para estas áreas”, disse o PCE.  

António Campos explica que a vinda a Maputo não se vai restringir na procura por oportunidades no mercado nacional, visto que a missão tem ainda a pretensão de atrair investimentos para Santarém. “Vamos apresentar o potencial que Santarém tem, queremos desafiar os empresários moçambicanos a investirem em Portugal, mas especificamente no nosso distrito”, explicou António Campos.

Campos aproveitou a exposição para convidar o empresariado nacional a participar do Encontro Internacional de Negócios do Ribatejo, um fórum empresarial organizado pela NERSANT. A fonte defende que o encontro pode servir para criar uma ponte de transferência tecnológica.

“O nosso distrito é muito forte do ponto de vista agroindustrial, as grandes empresas portuguesas estão lá estabelecidas. Achamos que podemos fazer a ponte, do ponto de vista da transferência tecnológica, quer para agroindustrial, quer para a industrialização do agronegócio ou as boas práticas que são usadas em Portugal. Pensamos que esta parceria pode ser útil para o desenvolvimento de Moçambique e vice-versa”, afirmou Campos.

O empresário defende que as parcerias são importantes para o crescimento dos negócios. “Os negócios são que nem uma estrada, mas deve ter dois sentidos e os carros devem andar para os dois lados. Os negócios só conseguem ser estáveis e duradoiros quando são feitos em dois sentidos, porque se for só num sentido, não irão durar ou ter frutos”, defendeu o empresário.

O Encontro Internacional de Negócios do Ribatejo vai realizar-se de 23 e 24 de Outubro em Tomar, Portugal. O evento vai contar com a presença de empresários locais, de outras regiões portuguesas e do estrangeiro. A Associação Empresarial da Região de Santarém já participou de várias edições da FACIM e estabeleceu parcerias com empresários das províncias da Zambézia e Nampula.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414