O País Online - A verdade como notícia

Sábado
23 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia Economia Ferrovia Lichinga-Cuamba impulsiona desenvolvimento em Niassa

Ferrovia Lichinga-Cuamba impulsiona desenvolvimento em Niassa

Linha férrea Lichinga-Cuamba cria dinamismo no comércio

Desde Novembro do ano passado ir até Lichinga deixou de ser uma dor de cabeça com a entrada em funcionamento da linha férrea que liga a cidade de Lichinga à Cuamba. O comboio transformou-se, assim, no principal veículo para ir ou sair desta cidade que há vários anos estava praticamente isolada do resto do país. O preço praticado pela locomotiva também é atractivo, cerca de 150 meticais contra quase 700 dos autocarros.

A procura do comboio para transportar mercadoria tende a crescer, mas ainda não o suficiente para se tornar sustentável, pois a procura é no sentido Nacala-Lichinga e de Lichinga quase que não há mercadoria considerável apesar do preço por tonelada ser quase 2 mil meticais contra 2500 meticais praticado pelos camionistas.

Jorge Mavie é um dos grandes empresários de Niassa com interesses no comércio geral, transportes, imobiliária, construção civil entre outros. Diz que o impacto da introdução do comboio seis anos depois da sua paralisação está a ter impacto positivo na vida de Lichinga.

E para que não haja problemas ao longo da linha férrea durante a época chuvosa, está em curso a manutenção preventiva.

Entretanto, a falta de uma estrada alcatroada que liga Niassa ao resto do país continua a retardar o desenvolvimento desta província e o caos é pior em épocas chuvosas.

Entretanto esta situação já tem dias contados. Nos próximos anos, os 635 quilómetros até Nampula serão feitos em estrada alcatroada. Neste momento, decorrem trabalhos de limpeza para o arranque das obras de uma estrada convencional que se espera que esteja concluída até finais de 2019.

E mesmo durante a época chuvosa, as obras não vão parar, segundo o delegado da Administração Nacional de Estradas (ANE). Mesmo com esta estrada concluída, vai permanecer em Niassa o desafio de ligar os centros de produção agrícola à capital provincial.

Na semana passada, iniciaram as obras da asfaltagem da estrada que liga Lichinga à Pemba, concretamente no troço Ruassa-Montepuez do lado de Cabo Delgado. A estrada já está concluída no troço Lichinga-Ruassa.

 


 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414