O País Online - A verdade como notícia

Quinta-feira
21 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Economia Economia Disponíveis 18 milhões de dólares para electrificar distritos sem luz no país

Disponíveis 18 milhões de dólares para electrificar distritos sem luz no país

EDM avança com electrificação do distrito de Dôa em Tete

O Governo já mobilizou 18 milhões de dólares para electrificar, até 2018, quatro distritos e assegurar cobertura de todos os 154 distritos do país, anunciou o Presidente do Conselho de Administração (PCA) da empresa Electricidade de Moçambique (EDM), Mateus Magala.

O PCA da EDM, que este domingo efectuou visita ao distrito de Dôa, na província de Tete, informou que três dos distritos ainda por ligar à rede eléctrica nacional estão na província da Zambézia e um na província de Tete (precisamente o distrito de Dôa).

Os trabalhos de electrificação de Dôa já começaram. A propósito, era mesmo para se inteirar do grau de realização dos trabalhos que Mateus Magala se deslocou àquele distrito.

O distrito de Dôa será alimentado a partir da vila de Moatize. São 160 quilómetros de um ponto para o outro. Ou seja, a linha de transmissão a ser colocada é de precisamente 160 quilómetros. No local, equipas já fixam os postes que vão suportar os cabos de energia eléctrica, que numa primeira fase vão garantir mil ligações. Magala assegurou à comunidade que há dinheiro e condições suficientes para electrificar as cerca de 10 localidades do distrito de Dôa.

Mais do que electrificar, o PCA da EDM deixou a promessa de fornecer boa qualidade de energia e a custos acessíveis para os consumidores, a avaliar pela qualidade do trabalho que está a ser realizado.

As comunidades, que estão há muito tempo ansiosas pela ligação eléctrica, já sonham com dias melhores num futuro breve.

“Não temos talhos aqui, não temos salões de beleza para mulheres. Enfrentamos muitos constrangimentos, incluindo nos hospitais. Agora estamos a ver se conseguimos construir uma casa mortuária. Se não temos energia, enfrentamos grandes dificuldades”, disse Brígida Daniel, Secretária Permanente do distrito de Dôa.

Actualmente, a população socorre-se de painéis solares para aceder a energia. Mas esta fonte é um privilégio da minoria.

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414