O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
20 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Entrevistas Entrevistas Portugal vai desembolsar 34 milhões de euros para Moçambique

Portugal vai desembolsar 34 milhões de euros para Moçambique

Embaixador de Portugal em entrevista à Stv Notícias

Qual é o objectivo da visita do primeiro-ministro português a Moçambique?

Contribuir para o reforço das relações entre Moçambique e Portugal nas mais diversas áreas. Temos muitos investimentos de portugueses em Moçambique, uma comunidade importante neste país, boas e antigas relações de cooperação e de ajuda de desenvolvimento, uma relação cultural com os criadores artísticos e intelectuais. 

 

Qual é a importância estratégica que Moçambique tem para com Portugal e qual é o proveito  de Moçambique?

Serão assinados cerca de 20 acordos, protocolos, adendas, memorandos, de diversas ordem e de varias áreas, que irão permitir a libertação de uma série de verbas que estavam consignadas, mas que estavam por diversas razões bloqueadas, algumas delas há vários anos. Possibilitará o acesso a cerca de 34 milhões de euros de verbas de diversos fundos, desde linhas comerciais, e de apoio ao investimento privado. Haverá uma injecção de investimento de capital de modo a fortalecer o desenvolvimento de Moçambique.

 

Que protocolos são e como serão implementados?

Cooperação na área de formação de recursos humanos, apoio na instalação de infra-estruturas, no desbloqueio de acesso a linhas de crédito e juros bonificados, que se destinam a pequenas e médias empresas. Teremos ainda aquacultura, formação de recursos para inspecção médica sanitária, qualidade alimentar, formação de quadros diplomáticos, áreas das finanças, apoio orçamental, educação.

 

A RDP avança que Moçambique representa 279 milhões de euros anuais para Portugal e que era o seu 19o cliente de vendas. Confirma?

Sim. Mas o nosso objectivo é que Moçambique galgue mais alguns lugares. Queremos contribuir para aumentar a capacidade de consumo, aumentar as  importações de Moçambique para Portugal, na qual todos saem a ganhar. Mas também se deve procurar formas de Moçambique exportar produtos para Portugal.

 

No contexto dos PALOP, Moçambique ocupa a terceira posição no ranking de clientes, a seguir Angola e Cabo Verde. Acredita que Moçambique poderá ter um posicionamento melhor como cliente de Portugal?

Penso que sim. Moçambique é o segundo país mais populoso da CPLP. Primeiro é o Brasil, e Moçambique caminha alegremente para solidificar essa posição.

 

Moçambique só exporta, essencialmente, produtos agrícolas para Portugal e, mesmo assim, essas vendas são incipientes. E, tendo em conta que Portugal não está entre os 10 maiores importadores de produtos moçambicanos, que comentário tem a fazer?

A descoberta de recursos naturais em Moçambique será a força motor do seu desenvolvimento para o resto da economia e que irá alavancar os outros sectores, como agricultura ou a industrialização do país. Moçambique não deve limitar-se apenas a exportar produtos, mas também que entre no processo de transformação.

Leia mais na edição impressa do «Jornal O País»

 

Fotogaleria: DIA DOS HERÓIS MOÇAMBICANOS

DESTAQUE..jpg

Link Externo Esta ligação irá abrir o SAPO Fotos.

Fotogaleria :VISITA DE RECEP ERDOGAN A MOÇAMBIQUE

Destaque1.jpg

Link Externo Esta ligação irá abrir o SAPO Fotos.

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414