O País Online - A verdade como notícia

Sábado
22 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Internacional Internacional Ugandeses repudiam novo código de vestuário na função pública

Ugandeses repudiam novo código de vestuário na função pública

Funcionárias públicas proibidas de pôr roupas apertadas, saias acima de joelhos e de criar unhas longas no Uganda

Veio ao público, ontem, um conjunto de regras que proíbe os funcionários públicos de pôr roupas coloridas, apertadas, que salientam o decote, saias acima de joelhos, unhas longas e cabelos pintados. Segundo o Ministério de Serviços Públicos, os funcionários que se recusarem a cumprir, vão sofrer processos disciplinares. Estas regras foram elaboradas depois de entidades governamentais terem verificado que os funcionários públicos vestiam-se de maneira inapropriada.  

Para muitos cidadãos de Uganda, um país conservador, o maior problema não são as regras, mas as condições financeiras para implementação deste código, assim como o facto de os trabalhadores não terem sido envolvidos na tomada de decisão.

“As mulheres são mal pagas. Estas ordens farão com que as mulheres receiem ir aos postos de trabalho e perder emprego, pois não têm dinheiro para comprar um novo vestuário e mudar o penteado”, afirmou Agnes Kunihira, representante do Sindicato no Parlamento.

Por sua vez, os homens, na função pública, devem usar calças não apertadas, casaco, gravata e sapatos formais.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401