O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
20 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política Pacheco diz que não foi ao Brasil negociar terras

Pacheco diz que não foi ao Brasil negociar terras

À luz da lei de terras, o ministro da Agricultura, não tem competência para conceder o Direito de Uso e Aproveitamento de Terra (DUAT) de extensões superiores a 10 mil hectares.

Contrariamente ao que a imprensa brasileira anunciou no mês passado, não foi o ministro da Agricultura, José Pacheco, quem “fechou” a concessão dos seis milhões de terra arável no norte do país. À luz da lei de terras, o ministro da Agricultura, neste caso José Pacheco, não tem competência para conceder o Direito de Uso e Aproveitamento de Terra (DUAT) de extensões superiores a 10 mil hectares, cabendo tal única e exclusivamente ao Conselho de Ministros decidir sobre a matéria.

Com efeito, a disponibilização dos seis milhões de hectares para o programa agrário tripartido envolvendo Moçambique, Brasil e Japão foi autorizada pelo Governo, sendo que José Pacheco, na qualidade de ministro da Agricultura, apenas foi quem “deu a cara” na operação.

Isto explica o facto de Pacheco ter sido citado pela imprensa como tendo concedido seis milhões de hectares a agricultores brasileiros. Aliás, o titular da pasta da Agricultura quebrou, ontem, o silêncio e disse que a alegada venda de terra avançada pela imprensa resultou de uma má interpretação.

Leia mais na edição impressa do «Jornal O País»
 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414