O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
05 de Agosto
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política Ataques armados dominam debate das informações do Governo na AR

Ataques armados dominam debate das informações do Governo na AR

Executivo no Parlamento

Os confrontos entre os militares e homens armados da Renamo dominaram os debates da sessão de informações do Governo, apesar de não ser o ponto central das três perguntas das bancadas.

É que o governo voltou ao Parlamento para responder às perguntas sobre a época chuvosa, distribuição da riqueza e utilização dos recursos públicos. Entretanto, pela sua repercussão e consequências socioeconómicas, os ataques armados na zona centro tomaram as discussões do dia.

A Renamo e a Frelimo trocaram acusações à volta da autoria dos actos que estão a causar desgraça e mortes em Muxúnguè, Gorongosa e agora em Cheringoma. A questão central era “quem ataca quem em Gorongosa e Muxúnguè”.

“Moçambicanos, compatriotas, o Senhor Armando Guebuza, gozando da qualidade de Comandante em Chefe, é que manda atacar todas as posições e persegue membros e simpatizantes da Renamo em todo o país. No dia 8 de Março de 2012 atacou a sede política da Renamo em Nampula; no dia 3 de Abril de 2013 mandou atacar civis, membros da Renamo, nas suas actividades políticas em Muxúnguè; mandou atacar a 28 de Outubro de 2013 o local onde se encontrava a viver o líder da Renamo, Afonso Dhlakama”, acusou o deputado Alberto Sabe.

Leia mais na edição impressa do «Jornal O País»

 

"O segredo do êxito na vida de um homem está em preparar-se para aproveitar a ocasião, quando ela se apresenta."

                                                          Benjamin Disraeli

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicidade

Moeda

Compra

Venda

DolarUSD37,72 38,48
Rand ZAR 2,98 3,04
EuroEUR41,2842,12
LibraGBP58,8360,01
IeneJPY0,30690,3131

Edição Impressa e O Tempo

   
Edição Impressa O Tempo

Edição Impressa 04-08-2015

 

Maputo

 

Inhambane

  Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa - O País Económico

Edição Impressa 301