O País Online - A verdade como notícia

Quarta-feira
26 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política Brigadas da Renamo promovem campanhas de sensibilização para o regresso de deslocados

Brigadas da Renamo promovem campanhas de sensibilização para o regresso de deslocados

Acção será replicada em outros pontos do país

 

Várias brigadas ligadas ao partido Renamo estão envolvidas em campanhas de sensibilização das populações de quatro distritos da província central da Zambézia, deslocadas devido às hostilidades militares, para regressarem às suas zonas de origem e retomar as suas actividades produtivas.

Segundo o delegado político da Renamo na Zambézia, Abdala Ossifo, citado pela AIM, a sensibilização tem como alvo os distritos de Mopeia, Morrumbala, Dere e Gurúè.

Igualmente, os delegados políticos da Renamo nestes mesmos distritos, que viviam em esconderijos, estão a regressar ao trabalho político.

Segundo Ossifo, o regresso dos delegados distritais da Renamo às suas actividades é uma prova evidente de que a trégua veio para ficar.

O Presidente da República, Filipe Nyusi, e o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, alcançaram entendimentos que culminaram com o prolongamento da suspensão das hostilidades para dois meses, depois de uma trégua de sete dias.

A presente suspensão das hostilidades, que se prolongará até 04 de Março do ano em curso, visa criar ambiente favorável para se “acelerar” o diálogo político, cujo objectivo é o alcance de uma paz efectiva e duradoira.

No entanto, para uma convivência pacífica à escala nacional, Ossifo sublinhou a necessidade de a sociedade moçambicana “reformar as mentes”.

“É preciso que, a partir do topo, comecemos a reformar as nossas mentes. Porque todos nós somos irmãos e achamos que a trégua beneficia todo o povo moçambicano. Já não há colunas militares e as pessoas viajam de um ponto para o outro à vontade. Isso faz bem a todos os moçambicanos, porque a guerra não resolve nada”, vincou Ossifo.

As acções promovidas na Zambézia estão a ser replicadas um pouco por todas as províncias do país que foram palco de actos de confrontação armada, no decurso da tensão político-militar, nomeadamente, Sofala, Manica e Tete.

A primeira ofensiva foi lançada há cerca de duas semanas, na província de Sofala, num encontro entre uma delegação do maior partido da oposição e o governo daquela província. Na ocasião, a Renamo anunciou a retomada das actividades políticas em todas as delegações do partido ao nível de Sofala.

O governo de Sofala manifestou, por seu turno, a disponibilidade para garantir que todos os partidos políticos trabalhem em segurança, assegurando que “há espaço para todos”.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -26-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401