O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
28 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política PRM promete combater crime organizado

PRM promete combater crime organizado

Membros da PRM renovaram o seu cometimento patriótico e de fidelidade à nação moçambicana e ao Chefe de Estado

O Presidente da República e comandante-chefe das Forças de Defesa e Segurança (FDS), Filipe Nyusi, saudou, ontem, a Polícia da República de Moçambique (PRM) pela passagem de 42 anos de criação da corporação, que hoje se celebram.

A saudação teve lugar numa audiência que o estadista concedeu à direcção do Comando-Geral da Polícia, liderada pelo respectivo comandante, Júlio Jane, na presença do ministro do Interior, Basílio Monteiro.

Na ocasião, os membros da Polícia renovaram o seu cometimento patriótico e de fidelidade à nação moçambicana e ao Chefe de Estado. Aproveitaram a ocasião para saudar o comandante-chefe das FDS pelos esforços por si empreendidos na busca da paz definitiva, condição indispensável para a consolidação da unidade nacional, impulsionamento do desenvolvimento harmonioso do país e bem-estar de todos os cidadãos.

As celebrações deste ano decorrem sob o lema “PRM, 42 anos na vanguarda da luta contra a criminalidade, na harmonia e convivência social”, com um apelo para a redução de conflitos no seio das famílias moçambicanas, priorizando e valorizando o diálogo como um dos condimentos de cidadania e um valioso legado para as futuras gerações.

As celebrações deste ano acontecem numa altura em que o país vive um ambiente de acalmia no que diz respeito à tensão político-militar que se viveu nos últimos três anos, ainda assim, o desafio continua presente: assegurar a paz e tranquilidade no país.

Um lema de cometimento

“O lema reflecte, ainda, o nosso cometimento na luta contra as várias facetas do crime, cujas metamorfoses desafiam a corporação a aprimorar as suas capacidades de intervenção. Cientes de que a segurança pública é um direito constitucionalmente consagrado, reiteramos o nosso empenho na luta contra a criminalidade organizada, em todas as suas vertentes e manifestações, dando o melhor, mesmo que isso custe a nossa vida, pois juramos servir fielmente a pátria moçambicana”, disse o comandante-geral da Polícia, Júlio Jane.


 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -28-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401