O País Online - A verdade como notícia

Domingo
23 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política Comissão de Eleições da Zambézia quer justiça nos escrutínios

Comissão de Eleições da Zambézia quer justiça nos escrutínios

Comissão Provincial de Eleições da Zambézia confere posse aos presidentes das comissões distritais de eleições

A Comissão Provincial de Eleições da Zambézia conferiu posse, hoje, aos seis presidentes das comissões distritais de eleições implantadas nas autarquias e cidades daquela província. Trata-se de Zacarias Muheia, no cargo de presidente da Comissão Distrital de Eleições de Quelimane; Samuel António, que vai dirigir o processo em Alto Molócuè; Manteiga Bluiça, na comissão eleitoral de Gurúè; e Vasco Rassul, empossado presidente da Comissão Distrital de Eleições de Maganja da Costa.

Constam, ainda, da lista Benedito Matola e Manuel Afonso, que, segundo a Agência de Informação de Moçambique, serão presidentes das comissões distritais de Milange e Mocuba.

Dirigindo-se aos empossados, o presidente da Comissão Provincial de Eleições da Zambézia, Emílio M’panga, disse que as decisões dos órgãos eleitorais devem trazer valores de justiça, primando por tratamento e oportunidades iguais aos partidos concorrentes, permitindo aos moçambicanos expressar livremente a sua vontade.

Questionado sobre a alegada contestação ao presidente da Comissão Distrital de Eleições de Quelimane pela Associação Provincial dos Transportadores da Zambézia, M’panga explicou ter sido um mal-entendido por parte de um órgão de informação que, segundo ele, dramatizou o assunto. Disse que a Comissão Provincial de Eleições confirmou a legitimidade de Muheia como concorrente indicado pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores Rodoviários e Assistência Técnica (SINTRAT) e não pela Associação Provincial dos Transportadores da Zambézia, como havia sido reportado.

“É nosso entender que houve falta de rigor jornalístico no tratamento do assunto por parte do órgão, que veiculou a informação com motivações desconhecidas pela Comissão Provincial de Eleições”, anotou Emílio M’panga.

 

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401