O País Online - A verdade como notícia

Quinta-feira
17 de Agosto
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política Nyusi avalia a primeira metade do seu mandato

Nyusi avalia a primeira metade do seu mandato

Filipe Nyusi diz que trouxe Moçambique aos carris do progresso, mas há ainda muito trabalho

“Há dois anos e meio, precisamente no dia 15 de Janeiro de 2015, tomei posse como o quarto Presidente da República de Moçambique. No meu discurso inaugural, disse que ‘o povo moçambicano é o meu patrão’, sendo neste espírito que me dirijo a vós, reportando o que conseguimos fazer na primeira metade do mandato por vós confiado. Devemos reconhecer que assumimos funções num momento difícil. A queda dramática dos preços globais de produtos de exportação constrangeu o nosso crescimento económico, ao mesmo tempo que a seca, no sul de Moçambique, e as cheias, no norte do país, afectavam vidas e o rendimento de milhões de concidadãos – homens e mulheres. Apesar destes desafios, os últimos dois anos e meio foram de muitas actividades. Aumentámos o nosso apoio aos agricultores, para que mais produção fosse feita em Moçambique, induzindo a redução de preços no mercado.

Asfaltámos e fizemos manutenção de milhares de quilómetros de estradas e impulsionámos a construção de linhas-férreas, para tornar Moçambique acessível às populações e aos empresários. Conseguimos prover energia eléctrica a 380 735 habitações de comunidades e famílias moçambicanas. Concluímos sistemas de abastecimento, fazendo chegar água - o precioso líquido - a mais 360 mil moçambicanos, através de 61 370 novas ligações.

Promovemos a construção de novas infra-estruturas hoteleiras e de restauração, resultando na entrada de cerca de 2 milhões de turistas, significando um crescimento de cerca de 81 mil, comparado ao ano transacto.

Embora estejamos orgulhosos por aquilo que conseguimos fazer, no meio de muitas adversidades, nunca descansaremos. Há ainda muito trabalho por realizar.

Se na primeira metade do meu mandato me dediquei a trazer Moçambique de volta aos carris do progresso, na segunda metade deste mandato, em simultâneo, quero empenhar-me em assegurar que os benefícios do nosso crescimento tenham impacto directo e sejam sentidos por cada um dos moçambicanos. Continuaremos a investir na saúde, educação, infra-estruturas, turismo e agricultura, ao mesmo tempo que combatemos vigorosamente a corrupção e todas as suas manifestações.

Continuaremos a encorajar os investidores estrangeiros e potenciais parceiros a apostarem em Moçambique, porque sabemos que através da conjugação dos recursos e conhecimento dos nossos parceiros internacionais com o espírito de dinamismo do povo moçambicano, não haverá limites no que podemos alcançar.

Como é do vosso conhecimento, através de um diálogo franco, aberto e sem preconceitos com todas as forças vivas da sociedade, incluindo a Renamo, temos conseguido uma paz relativa, rumo à consolidação de um ambiente de concórdia e reconciliação entre os moçambicanos. A nossa meta é uma paz efectiva e duradoura.

Caros compatriotas

Quando aceitei a responsabilidade de ser Presidente, fi-lo consciente e com visão de construir um Moçambique unido, forte e próspero. Exorto todos vós a juntarem-se a mim e ao meu governo, para trabalharmos na aceleração do passo rumo ao progresso e à concretização desta visão. Somos uma nação, um povo com um só objectivo: construção do bem-estar. Somos, antes de tudo, Moçambicanos.                

Bem haja povo moçambicano!”   

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -17-08-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa410