O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
18 de Agosto
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política Filipe Nyusi exorta a juventude a cultivar uma sociedade de paz

Filipe Nyusi exorta a juventude a cultivar uma sociedade de paz

Nyusi afirma que o Governo implementa políticas que colocam os jovens no centro das atenções

O mundo celebrou ontem o dia da Juventude. O Presidente da República, Filipe Nyusi, exortou a todos os jovens a celebrarem o seu dia cultivando e promovendo uma sociedade de paz, amor e solidariedade, bem como a aprofundarem a reflexão sobre o seu papel para que “a nossa demografia, predominantemente jovem, seja verdadeiramente, um dividendo”.

O Dia Internacional da Juventude celebra-se este ano sob o lema, “Jovens consolidando a Paz”. Esta data foi declarada pela Organização das Nações Unidas para realçar a relevância dos jovens na vitalidade de qualquer nação do mundo em todos os aspectos da sua existência, sobretudo no que tange ao crescimento e desenvolvimento económico dos Povos. “Assinalamos esta efeméride num contexto em que a União Africana, reconhecendo o papel diferenciador da juventude na transformação sócio-económica do continente elegeu 2017 como ano da juventude”, realçou Nyusi.

O estadista afirma que o seu Governo, inspirado na experiência da luta heroica do povo moçambicano e no processo de construção da nação, promove e implementa políticas que colocam os jovens no centro das atenções.

Os jovens não ficaram alheios a efeméride tendo-se reunido nas cidades de Maputo e da Matola para reflectir sobre os desafios desta camada social.

Falando durante as cerimónias centrais, na Matola, o jovem ministro da Juventude e Desportos, Alberto Nkutumula, defendeu que os jovens devem ultrapassar as diferença e lutar pelo bem-estar da nação.

O governante explicou que a divergência de ideias não deve ser pretexto para início de conflitos mas sim um ponto de partida para debates abertos sobre a visão do mundo.

Por sua vez, líderes juvenis que estiveram presentes nas cerimónias centrais comprometeram-se a promover a união entre os jovens com vista ao estabelecimento do espírito de diálogo.

O Presidente do Conselho Nacional da Juventude, Manuel Formiga, por exemplo, disse que a instituição que dirige tem realizado palestras que promovam inclusão juvenil mas referiu que tarefa dos jovens terem iniciativa de pautar pelo diálogo. Para Mety Gôndola, Secretário-Geral da Organização da Juventude Moçambicana (braço juvenil do partido Frelimo) mais do que criticar é responsabilidade da juventude procurar formas de contribuir para a promoção de um Estado sem conflitos armados.

Por sua vez, Renato Muelega, representante da Liga Juvenil do partido MDM, falou da necessidade de inclusão pelas autoridades dos jovens nos órgãos de tomada de decisão. Outros jovens entrevistados pela nossa equipa de reportagem disseram que apesar da existência de várias preocupações há sinais de valorização desta camada social no país. As cerimónias centrais na Matola foram antecedidas por uma marcha e em outros pontos do país foi marcada por realização de feira e espetáculo musical.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -17-08-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa410