O País Online - A verdade como notícia

Quinta-feira
21 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Política Política Isaura Nyusi quer ver iniciativas de combate à pobreza replicadas

Isaura Nyusi quer ver iniciativas de combate à pobreza replicadas

Primeira-dama espera iniciativas de geração de renda em mais pontos do país

As iniciativas de combate à pobreza e geração de renda desenvolvidas pelo Centro Aberto do bairro de Nhamadjessa, são replicáveis, diz a primeira-dama, Isaura Nyusi, acrescentando que não se deve desenvolver só em Manica e sim em todo o país.

A primeira-dama manifestou a vontade na sexta-feira última, no decurso da interacção com os residentes daquele bairro localizado na zona periférica da cidade de Chimoio, tendo destacado que estas iniciativas devem ser acompanhadas de acções de formação e capacitação em matérias de gestão.

"Alegra-nos saber que de entre várias acções desenvolvidas neste bairro para o empoderamento da mulher estão actividades de micro-finanças, mais conhecidas por Xitique, em sete grupos de cerca de 25 membros cada, sendo mais de 80 por cento constituídos por mulheres", afirmou Isaura Nyusi.

Segundo Isaura Nyusi, com este modelo de poupança as mulheres desenvolvem pequenos negócios, compram insumos agrícolas para a produção de hortícolas e outras actividades visando a melhoria das condições de vida das suas famílias.

"Para o efeito, é importante promover o associativismo e a sua legalização com o envolvimento dos líderes comunitários e outras lideranças locais, como forma de assegurar uma melhor organização para que os seus membros sejam elegíveis e tenham acesso a financiamentos, assistência técnica garantida", acrescentou.

As acções de capacitação, segundo Isaura Nyusi, têm em vista permitir que estas iniciativas possam progressivamente passar de pequenos a médios negócios de piscicultura, agropecuária e outros projectos sustentáveis.

Isaura Nyusi ofereceu ao Centro Aberto de Nhamadjessa meios de compensação a pessoas deficientes, compostos por cadeiras de rodas, canadiana e bengalas.

O Centro Aberto de Nhamadjessa foi criado para apoiar crianças órfãs e vulneráveis e realiza várias actividades de geração de receitas, como corte e costura, criação de frangos, cabritos e prevê introduzir num futuro breve cursos profissionalizantes de carpintaria e electricidade.

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -21-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414