O País Online - A verdade como notícia

Sábado
22 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade

Sociedade

Detidos supostos traficantes de órgãos humanos

A Polícia da República de Moçambique (PRM) na província de Manica deteve cinco pessoas supostamente membros de uma rede de tráfico de órgãos humanos, e que terão morto e extraído os órgãos genitais a quatro mulheres. As detenções, segundo a PRM, ocorreram em Mussorize, província de Manica, e incluem um famoso curandeiro da região, considerado pela polícia como o mandante dos crimes e comprador de órgãos humanos. O grupo terá morto as quatro mulheres entre Dezembro de 2008 e Março do ano em curso para lhes extrair a língua, esófago, clítoris e útero, órgãos usados com frequência por curandeiros da região para “fins obscuros”. A última vítima foi registada no passado dia 16, no povoado de Mpengo, posto administrativo de Dacata, norte de Mussorize. Segundo a polícia, os indiciados, naturais e residentes no distrito de Mussorize, tinham como vítimas preferenciais mulheres solteiras e que não tivessem mantido relações sexuais nas últimas 48 horas. O comandante da polícia em Mussorize, Edgar Bartolomeu Rodrigues, disse que para a mutilação dos órgãos os indivíduos usaram catanas e canivetes (instrumentos apreendidos aquando da detenção pela polícia).

Subiu para três número de vítimas mortais

O motorista e o ajudante do autocarro não resistiram aos ferimentos O motorista e o ajudante da carrinha que transportava os alunos da Escola Portuguesa não resistiram aos ferimentos e perderam a vida horas depois do acidente, ocorrido ao princípio da noite da última terça-feira, defronte da Presidência da República. Assim, sobe para três o número de vítimas mortais, depois de uma das alunas ter perdido a vida imediatamente após o acidente. A aluna em causa respondia pelo nome de Érica Rosa do Rosário Fortunato, e frequentava o 9º ano.  Ainda na terça-feira, logo depois do sinistro, deram entrada na Clínica da Sommerchild nove alunos feridos, sete dos quais receberam alta no mesmo dia, enquanto os restantes dois só saíram na manhã de ontem, quarta-feira.  Foi nos revelado ainda que três alunos em estado grave teriam dado entrada, na noite de terça-feira, dois na clínica especial do Hospital Central de Maputo, e outro, uma menina, no Instituto do Coração. Já na manhã desta quarta-feira, dois dos três alunos que foram internados em estado grave, nomeadamente, Hina Ayub, do 9º ano, e Patrícia Ruas, do 11º ano, foram evacuadas para a vizinha África do Sul, para prosseguirem com o tratamento.  Enquanto o rapaz, cujo nome não foi possível apurar, continua internado no Hospital Central de Maputo, com ferimentos no crânio. O mesmo teve que receber uma transfusão de sangue, devido ao facto de ter perdido muito sangue.  Na Escola Portuguesa, na manhã de ontem, foi observado um minuto de silêncio no momento de entoação do hino nacional e a bandeira da instituição foi içada à meia-haste em memória da aluna perecida.

Lixeira deixa famílias agastadas em Hulene

Lixeira de Hulene, arredores da Cidade de Maputo, deixa várias famílias expostas a problemas de saúde. As famílias entrevistadas pela nossa equipa de reportagem são contraditórias quanto as nmedidas a adoptar uma vez que algumas, pedem o encerramento imediato da mesma, contudo outras dizem o contrário.A lixeira em causa, encontra-se nos arredores da cidade de Maputo. Devido a imundice do local, as familias estão expostas a vários problemas de saúde como a cólera, malária, entre outras. Por outro lado, a lixeira tornou-se num verdadeiro atentado ao meio ambiente. O Conselho Municipal da Cidade de Maputo reconhce os problemas causados pela lixeira, mas diz que a construção de um aterro sanitário só acontecerá dentro de 4 anos.  

A Escola Industrial 1ºde Maio esteve, hoje, em greve

Estes exigem a demissão imediata da directora.

Ler mais...
Governo vai construir mais quatro barragens

Governo vai construir mais quatro barragens

A gestão dos recursos hídricos partilhados com outros países vizinhos foi tema de um encontro entre gestores de água dos países que são atravessados pelos mesmos rios com Moçambique. O encontro de Maputo está enquadrado nas celebração do Dia Mundial de água, assinalado no  passado dia 22 de Março. O encontro em causa serviu para discutir a problemática daquele precioso líquido, uma vez que num ano o país pode registar inundações e meses depois registar seca, facto devido ao défice no armazenamento de água, que se situa actualmente em apenas 5% do total do volume de água que corre nas principais bacias hidrográficas nacionais. O ministro das Obras Públicas e Habitação, Felício Zacarias, disse, na ocasião, ser necessária a aplicação de medidas concertadas entre todos os países da região,  de forma a tirar o proveito adequado daquele líquido vital, considerado instrumento de paz, cooperação e integração regional. A bacia do Zambeze e a região norte têm a maior disponibilidade de recursos hídricos (90%) e a região Sul  e Centro detêm a mais baixa disponibilidade (10%). A região Sul e a bacia de Zambeze dependem mais do escoamento gerado nos países vizinhos. De referir que 50% dos recursos hídricos  de que o país dispõe são gerados nos países a montante, deixando-o na condição de total dependência, facto que concorre para a vulnerabilidade a cheias, secas, degradação da qualidade e redução de água devido à utilizações intensivas nos países a montante, apesar de haver já um instrumento de regulamentação da gestão da água entre os países que partilham rios com Moçambique. O nosso país conta com cerca de 104 bacias hidrográficas identificadas, das quais cerca de 13 são consideradas grandes bacias, nove das quais partilha com alguns países da SADC. Em todos estes rios, Moçambique situa-se a jusante, à excepção de Rovuma. Para fazer face à incapacidade do país no concernente à armazenagem de água, decorrem estudos com vista à construção de barragens em Moamba-Major e Currumana, zona sul, assim como Bué Maria e Bárue, no centro. A barragem de Moamba-Major vai custar pouco mais de 500 milhões de dólares norte-americanos, a serem suportados por parceiros internacionais.

Criada associção dos direitos dos albinos

Criada associção dos direitos dos albinos

Visa criar bem-estar deste grupo social.

Ler mais...
Esposa espanca frequentemente seu próprio marido

Esposa espanca frequentemente seu próprio marido

Trata-se de um homem com idade acima de 35 anos, professor numa escola pública na cidade de Maputo.Vive em casa da sua esposa, com quem se juntou há cerca de 9 anos, no bairro da Mafalala, periferia da capital do país. Amargurado pelo sofrimento a que diz ser sujeitado pela esposa, decidiu quebrar o silêncio à nossa Reportagem sobre um assunto que ainda é visto como mito na nossa sociedade. Falando no anonimato, alegadamente para não pôr em causa a sua reputação, a nossa fonte contou que, frequentente, a sua esposa o espanca por motivos que não soube explicar com precisão à nossa equipa, aventando-se a hipótese de se tratar de um assunto meramente passional. A última agressão que diz ter sido sofrido foi há poucos dias, tendo inclusivamente nos apresentado as sequelas ainda vivas em diferentes partes do corpo. Em função do último acontecimento, ontem foi ao posto policial do bairro da Mafalala para apresentar o caso às autoridades policiais. Estas não hesitaram e logo intimaram a acusada a comparecer ao posto policial para prestar declarações. Aliás, a nossa Reportagem encontrou o queixoso ainda no posto da polícia a prestar declarações juntamente com a sua esposa, a quem a responsabiliza pelas ofensas morais e corporais. O nosso entrevistado deu a conhecer que num passado recente abriu um processo contra a sua amada por motivos similares. Só que, no primeiro caso, acrescentou, sofreu uma agressão física da sua esposa, juntamente com o seu irmão. Acusada nega os factos Entretanto, a mulher acusada não aceita as alegações do marido. Ou seja, quando questionada pela nossa Reportagem se é responsável pelos maus tratos ao seu esposo, apenas reconheceu que nos últimos tempos o clima não é dos melhores no seu lar, porque o esposo não comparticipa nas despesas da casa. “Ele sempre diz que não recebeu. Ele nunca recebe, apenas quer viver às minhas custas”, disse a acusada. Verdade ou não, os dados do Gabinete de Atendimento à Mulher e Criança referentes ao ano passado indicam que cerca de dois mil homens foram violentados pelas mulheres em todo o país.

Matola retira famílias das zonas de inundações

Matola retira famílias das zonas de inundações

Neste encontro de um dia, A Assembleia Municipal da Matola passou em analise, entre outras matérias, o informe do edil sobre as actividades realizadas nos primeiros dois meses de sua actividade, apreciar o plano de actividades da edilidade e da assembleia e a Revisão do orçamento para 2009.

Traficantes estrangeiros detidos em Maputo

Traficantes estrangeiros detidos em Maputo

Uma das estudantes da UEM encontra-se detida na terceira Esquadra da PRM porque espancou alguém. Por causa do mesmo tipo de crime, a sétima Esquadra da Policia deteve um outro estudante da UEM.

Testemunhas falam do

Testemunhas falam do "Caso Mongicual"

Enquanto isso a União Europeia deplorou os incidentes e apela a uma investigação que leve à responsabilização dos envolvidos. Diogo Caetano, conhecido também por Régulo Mueria, contou à BBC detalhes da realidade vivida pela população prisional na noite da tragédia, em depoimentos que falam de uma situação de autêntico desespero que poderia ter sido evitada. “Com 41 pessoas já não havia espaço, depois de noite, os presos já estavam com muito calor. Com aquele calor todos queriam partir a porta e sair”, explicou descrevendo os trágicos eventos que levaram à morte de 13 detidos. Na Assembleia da República há movimentações para levar o caso a debate. Pelo terreno já se desdobra uma equipa da investigação da Liga dos Direitos Humanos, que no passado lançou fortes críticas às condições de reclusão nas cadeias Moçambicanas. As autoridades por seu lado indicam que não bastam as detenções de altos oficiais e abertura de processos crimes contra os mesmos por alegada negligência e garantem que a suas própria investigação prossegue. Um facto que é saudado pela União Europeia num raro comunicado de imprensa sobre este tipo de acontecimentos, afirmando que espera que a mesma seja, compreensiva, transparente e completa.

MOPH discute política de abastecimento de água

MOPH discute política de abastecimento de água

condição de total dependência.

INAM anuncia chuvas em Inhambane

O Instituto Nacional de Meteorologia indica que durante o último fim-de-semana, até hoje, a província de Inhambane será fustigada por chuvas moderadas temporariamente, numa precipitação acumulada entre cinquenta a cem milímetros em vinte quatro horas, causadas pela forte instabilidade atmosférica associada à tempestade tropical IZILDA que, neste momento, se encontra dissipada. O INAM refere ainda, num comunicado enviado à nossa redacção, que esta situação far-se-á sentir-se na zona norte da província de Gaza, concretamente nos distritos de Chicualacuála, Massangena e Mapai. O INAM diz ainda que esta situação estará acompanhada de ventos fortes que, no entender daquela instituição meteorológica, poderão afectar infra-estruturas com dimensões menores, sobre tudo as de construção precária, assim como algumas culturas vulneráveis a acções do vento.Ainda sobre este cenário, prevê-se que haja chuvas e ventos fortes sobre o mar, facto que poderá por em causa a visibilidade marítima. Com este fenómeno, espera-se que se formem ondas de 2 a 4m de altura, colocando, desta forma, em causa a navegação marítima. 

A Politécnica promove colecta de sangue

A Politécnica promove colecta de sangue

A Uiversidade Politécnica realiza a partir de hoje uma campanha de colecta de sangue no seu campus universitário, intitulada “A solidariedade ao serviço da Saúde”. A mesma é co-organizada pela ISPU-Sida e pela Associação Nacional dos Dadores de Sangue. A mesma vai contar com uma feira do livro e uma oficina de pintura, envolvendo artistas plásticos e estudantes da escola de artes visuais. Ao longo desta actividade, o artista plástico Noel Langa vai oferecer um quadro de sua autoria à Universidade Politécnica. De referir que esta campanha vai ajudar a reduzir o défice de sangue no HCM

Detidos 3 adolescentes por falsificar dinheiro

Detidos 3 adolescentes por falsificar dinheiro

Os três jovens encontram-se encarcerados numa das cadeias da cidade de Xai-Xai, a capital provincial de Gaza.

Moçambique terá especialistas em ensino primário

O Ministro moçambicano da Educação e Cultura, Aires Aly, diz que o país pretende formar professores superiores especializados no ensino primário como uma das formas de melhorar a qualidade do ensino.

Falando à Rádio Moçambique, a emissora pública nacional, o Aires Aly disse essa medida visa proporcionar às crianças (alunos) a oportunidade de terem professores com curso superior, pois elas precisam de “muita atenção e um acompanhante mais profissional”.

“Os nossos professores vão frequentar o primeiro ciclo, ensino médio e superior até concluírem o nível de mestrado”, disse o governante.

Segundo Aly, outra medida encontrada pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) para melhorar a qualidade do ensino primário são as jornadas científicas, encontros que permitem a troca de conhecimentos entre os professores mais experientes e os mais jovens.

As jornadas científicas foram criadas no ano passado, com vista a colmatar algumas dificuldades dos professores em matérias de planificação e ensino.

Estas actividades realizam-se regularmente todos Sábados em quase todas escolas primarias do país, envolvendo técnicos do MEC e docentes experientes no ensino de métodos de leitura e escrita que trabalham com os professores das primeiras e segundas classes, para reforçar o conhecimento destes sobre as metodologias de ensino.

Falando na semana passada na Assembleia da República, parlamento moçambicano, o Ministro da Educação e Cultura reiterou empenho do Governo em elevar a qualidade da educação, sobretudo nesta fase de constante transformação do mundo globalizado.

“Vivemos num mundo em constantes transformações, globalizado, onde corremos o risco de sermos engolidos pelos países mais poderosos do planeta. Por isso, cimentar a nossa identidade e auto-estima é um imperativo da luta pela dignidade e auto-afirmação como moçambicanos”, sublinhou ele.

Japão financia construção de centro de saúde

O Governo do Japão, através da sua Embaixada em Maputo, disponibilizou 88.425 dólares norte-americanos para a construção de um Centro de Saúde Rural na povoação de Ambrósio, no distrito de Boane, província de Maputo, no Sul de Moçambique.

O projecto, cujas obras terão a duração de seis meses, será implementado pelo Futuro Conjunto (FUCOM), uma organização não governamental moçambicana. O mesmo consistira na edificação do Centro de Saúde Rural composto por uma sala de atendimento, dois sanitários e equipamento médico.

A primeira pedra, marcando o arranque da construção, foi lançada hoje, naquele povoado da localidade de Mahubo, pelo director distrital da Saúde, em Boane, Arnaldo de Jesus Maria, em representação do Governo local, num acto que contou com a presença de Atsuko Negami, Assessora para Cooperação Económica na Embaixada japonesa em Maputo, em representação do Governo nipónico.

O Centro de Saúde, segundo os proponentes, vai beneficiar directamente cerca de cinco mil pessoas do povoado de Ambrósio e de forma indirecta outras cerca de 15 mil, que virão não só de Boane, como também dos distritos vizinhos de Namaacha e Matutuine.

Katia Momade, da Embaixada do Japão em Maputo, disse que este projecto surge no âmbito do programa de apoio a projectos comunitários que o Governo nipónico tem vindo a disponibilizar a Moçambique. Com base nesta iniciativa, o Japão tem apoiado a implementação de seis projectos por ano.

No que diz respeito ao presente projecto, segundo Katia Momade, o Japão vai disponibilizar uma parte do equipamento. A outra parte, incluindo o pessoal médico e auxiliar, será disponibilizada pelo Executivo moçambicano.

Katia Momade justificou a escolha do povoado de Ambrósio, na localidade de Mahubo apontando que “e um ponto de cruzamento entre três distritos”. Trata-se de um ponto estratégico que vai permitir o acesso aos serviços de saúde aos habitantes dos três lados.

Neste momento, disse Momade, a Embaixada nipónica, que já ergueu naquela zona a Escola Primaria de Chigubo, esta envolvida num processo de selecção dos seis projectos a serem contemplados pelo financiamento disponibilizado para o presente ano.

Desde 2001, o Governo japonês, através da sua Embaixada em Maputo, já gastou cerca de 204.150 dólares norte-americanos no apoio a implementação de quatro projectos da área da saúde em várias regiões do pais.

O distrito de Boane conta actualmente com um total de 10 unidades sanitárias, sendo três postos de saúde e sete centros.

Brasil forma pilotos Moçambicanos

Brasil forma pilotos Moçambicanos

Ainda nesta quinta-feira, o Ministro brasileiro foi recebido em audiência pelo Presidente moçambicano, Armando Guebuza, e visitou alguns estabelecimentos militares localizados na cidade de

Venda do lixo plástico gera rendimentos em Maputo

A venda e compra de lixo em alguns bairros suburbanos da cidade de Maputo já é uma realidade. Trata-se de um negócio que muitos “bussiness men” ainda não o descobriram como sendo uma fonte de sobrevivência. Mas a verdade, segundo indica Tomás Chaúque, gerente de uma empresa de reciclagem de lixo plástico que opera na cidade de Maputo há sensivelmente três anos, é que o negócio de lixo é rentável. A escolha do lixo plástico apenas como sendo o preferido pela empresa resulta de um estudo do mercado efectuado ao nível da cidade, onde se constatou que os que se prontificavam a comprar apenas queriam este tipo de lixo. Chaúque explica ainda que a instalação daquela empresa em Hulene foi em coordenação com o Conselho Municipal, porque muita matéria-prima da fábrica se encontra naquele local. E, mais do que isso, porque é lá onde se encontram muitos catadores de lixo, sendo que, como forma de dar oportunidade a estes, o local se mostrou estratégico, já que os mesmos passaram a ser trabalhadores permanentes da mesma. Aliás, Chaúque diz que o projecto já está a ter um impacto positivo para as populações da  cidade de Maputo, particularmente de Hulene, por ser esta que mais lixo vende àquela empresa. Chaúque estima que desde a sua criação até hoje terá já comprado cerca de 380 toneladas de lixo, tendo vendido pouco mais de 300. Destas quantidades, cerca de 90 por cento provém dos residentes de Hulene, sendo que o remanescente vem de outros pontos da cidade. Mais no jornal ª O Paísª ediçao de 26/03/09

MONASO contra o não uso de preservativo

A Rede das Organizações Contra o HIV-Sida (MONASO) acaba de manifestar a sua posição em volta dos recentes pronunciamentos do Sumo Pontífice, Papa Bento XVI, segundo as quais: “Não se pode resolver o problema da Sida com a distribuição de preservativos. Pelo contrário, a sua utilização só aumenta o problema”. Para contrariar esta posição, a MONASO exorta a todas as organizações que trabalham na luta contra esta doença redobrar esforços em todos os sectores difundindo informação correcta sobre as vias de contaminação do vírus de HIV, ao mesmo tempo que devem continuar a distribuir preservativos como meio de prevenção. Contudo,  através de um comunicado enviado à nossa redação, a  MONASO diz que reconhece e aceita as convicções e ideologias de diferentes segmentos da sociedade, mas é preciso lembrar que o HIV-Sida constitui uma das piores endemias com a qual a humanidade vive nos últimos tempos. A título de exemplo, em Moçambique existem mais de 3.2 milhões de pessoas vivendo com o HIV-Sida, de uma população de cerca de 20 milhões de habitantes. Este organismo defende que  o preservativo constitui uma das ferramentas que ajudam a evitar a transmissão da chamada doença do século, prevenir a gravidez indesejada, e constitui igualmente recurso para que as pessoas vivendo com o HIV possam gozar de uma vida sexual normal sem contagiar os parceiros.

Inundações no rio Maputo causam  estragos

Inundações no rio Maputo causam estragos

O distrito de Matutuine, na província de Maputo, está a ser afectado por inundações devido a descargas descoordenadas efectuadas pela África do Sul a montante do rio Maputo, segundo a Agência de Informação de Moçambique (AIM). De acordo com o administrador de Matutuine, Mário Daniel Bombi, as inundações alagaram 392 hectares de culturas diversas, afectando 832 famílias dos postos administrativos de Catuane e Zitundo, naquele distrito fronteiriço. “Embora tenham reduzido as descargas, as machambas continuam alagadas. Normalmente, quando há este tipo de situação, as águas só desaparecem no mês de Agosto. Estes problemas acontecem entre Dezembro e Janeiro de todos os anos, mas desta vez fomos colhidos de surpresa”, disse. Bombi acrescentou que “desta vez, eles (os sul-africanos) não emitiram nenhum comunicado, como é de costume, com o conhecimento da ARA Sul. Nós só vimos as águas a inundarem as machambas”. Neste momento, o governo distrital está a fazer o aprovisionamento de sementes para a prática da agricultura na zona alta, como forma de garantir que os camponeses afectados possam produzir para o seu sustento. Moçambique e África do Sul partilham o rio Maputo, sendo que entre os dois países já foram assinados acordos de utilização e de gestão coordenada dos recursos hídricos naquela bacia. Um dos problemas entre os dois países ao nível desta bacia é a falta de coordenação nalguns momentos, o que leva à inundação de culturas, colocando em situação difícil várias famílias naquela zona do país.

CMCM entrega DUAT às famílias transferidas

CMCM entrega DUAT às famílias transferidas

O Distrito Urbano 5, em parceria com o Conselho Municipal da Cidade de Maputo, fez, esta semana, a entrega de títulos de uso e aproveitamento de terra às famílias que serão transferidas do Cemitério da Lhanguene para Magoanine “C”, em virtude deste local não ser considerado ideal para a habitação.Já há muito que se esperava a transferência das pessoas que se encontram naquele local, mas devido aos condicionalismos de vária ordem, o facto ainda não aconteceu na íntegra

Página 495 de 496

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401