O País Online - A verdade como notícia

Terça-feira
26 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Escolas interditam extensões e barba em Maputo

Escolas interditam extensões e barba em Maputo

É um assunto polémico, despoletado por uma menina de 13 anos que frequenta a 7ª classe na Escola Primária 3 de Fevereiro, na cidade de Maputo.

Tudo porque a adolescente em causa foi ontem expulsa da sala e interdita de assistir às aulas até que corte  as suas dreads e apresente-se ao recinto escolar sem elas. A medida foi, alegadamente, tomada pela directora de turma, com consentimento da respectiva directora da Escola Primária 3 de Fevereiro.

Em causa está uma polémica adenda ao regulamento das escolas do Distrito Municipal Kampfumu, que diz na sua alínea I  que “os alunos de ambos os sexos não devem aplicar extensões extravagantes aos cabelos, incluindo dreads e rasta”. Mais ainda há mais: os alunos não devem apresentar-se com barba na sala de aulas. Curioso ainda é que esta medida parece estar a ser aplicada num contexto de dois pesos e duas medidas. Pois, várias são as escolas cujas alunas assistem normalmente às aulas apresentando-se com extensões, dreads e até rasta.

Outro facto curioso é que como medidas punitivas o regulamento diz que a infracção daquela norma dá direito apenas à repressão oral pública, repreensão com conhecimento do encarregado de educação e como medida mais gravosa a atribuição de comportamento mau ao aluno.

Leia mais na edição impressa do «Jornal O País»

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -26-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa415