O País Online - A verdade como notícia

Sábado
22 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Munícipes zangados com adiamento do Carnaval em Quelimane

Munícipes zangados com adiamento do Carnaval em Quelimane

Carnaval adiado devido ao luto decretado na cidade

Jovens representantes dos grupos foliões amotinaram-se, ontem, em frente ao Conselho Municipal de Quelimane para reivindicar o adiamanto do carnaval. O desfile de carnaval iria decorrer de 17 a 26 deste mês, mas foi adiado devido ao luto de três dias decretado em homenagem às vítimas do naufrágio ocorrido no rio Chipaca a 12 de Fevereiro.   

Os descontentes afirmam que o adiamento do carnaval os prejudica pelo facto de terem gasto muito dinheiro nos preparativos para a celebração.

“Nós contraímos muitas dívidas no bairro, confiávamos no valor que seria cedido pelo município, com este adiamento não sabemos como iremos fazer para arcar com as dívidas. Estamos a ficar com uma reputação no bairro”, disse José Pedro, representante do grupo Novos Talentos.

Os manifestantes reclamam ainda que o município não dialogou com os participantes antes de tomar a decisão. Por sua vez, o edil de Quelimane, Manuel de Araújo, diz que os manifestantes estão a demonstrar insensibilidade perante a dor dos outros.  

“Se calhar as pessoas que estão a revindicar o adiamento do carnaval não perderam nenhum familiar. Se tivessem perdido um filho, uma esposa ou um marido não estariam a reivindicar o adiamento do carnaval. Em 2015 houve cheias em todo o país, houve perda de vidas humanas, mantivemos o carnaval. Mas recebemos muitas críticas nas redes sociais e nas ruas. Diziam que a edilidade de Quelimane estava a ser insensível perante o sofrimento dos outros. Hoje que estamos solidários com as vítimas do naufrágio estamos também a ser contestados ”, disse Manuel de Araújo, edil de Quelimane. 

O Conselho Municipal de Quelimane já iniciou o processo de diálogo com os grupos participantes do Carnaval.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401