O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
28 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Vendedeiras contestam apreensão de camarão no Mercado do Peixe

Vendedeiras contestam apreensão de camarão no Mercado do Peixe

Entre Janeiro e Fevereiro é proibida a pesca e comercialização de camarão em Maputo e Sofala

 

O Departamento de Fiscalização da Direcção Provincial de Águas Interiores, Mares e Pescas recolheu, esta quinta-feira, mais de 50 quilos de camarão no Mercado do Peixe. Segundo a instituição, a apreensão deve-se ao facto deste crustáceo estar a ser comercializado numa época proibida. Nos meses de Janeiro e Fevereiro, a pesca e comercialização do camarão nas províncias de Maputo e Sofala é proibida, para permitir a sua reprodução.

Diante disto, as vendedeiras do Mercado do Peixe amontoaram-se no porto de Maputo, na tarde de ontem, para protestar contra a medida. Elas alegam que a acção é injusta, porque o camarão foi adquirido em Dezembro e conservado para ser vendido neste período.

As autoridades, entretanto, explicam que a devolução da mercadoria só poderá ocorrer mediante a entrega dos recibos com a data de compra e a origem do camarão.

Caso as vendedeiras não apresentem os recibos, o camarão será vendido no próximo dia 20 de Fevereiro. A instituição diz que vai continuar com o trabalho de fiscalização no mar e nos mercados.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -28-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401