O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
28 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Município nega responsabilidade de resolver problemas de infiltração no edifício do Cristal

Município nega responsabilidade de resolver problemas de infiltração no edifício do Cristal

Director adjunto de infra-estruturas diz não ter legitimidade para intervir em propriedades privadas

O Conselho Municipal da Cidade de Maputo diz que a intervenção em propriedades privadas não é responsabilidade sua. O director adjunto de infra-estruturas do município, António Simão Júnior, respondia deste modo às críticas do proprietário do Cristal sobre os problemas de infiltração e saneamento do edifício onde funcionava o restaurante e pastelaria.   

António Júnior diz que por se tratar de uma propriedade privada, o Município não tem legitimidade para intervir nela, e que cabe ao proprietário do restaurante e aos demais moradores do edifício sanar todos os problemas existentes no edifício.

“O problema do Cristal é interno. Nós não temos como intervir, aquela é uma propriedade privada, nós intervimos nas áreas públicas. As infiltrações estão na parte superior do edifício, que pode ser originada por águas mal canalizadas que vêem da parte superior do edifício. O que faz com que seja um problema que deve ser resolvido entre os moradores”, disse António Júnior.

Além do problema de infiltração, o restaurante apresentava, aquando da visita da INAE, as fossas entupidas. O problema das águas negras foi resolvido, mas o município alerta que esta situação pode ser recorrente.

“O sistema de saneamento do edifício não está ligado ao do colector público. Quando as fossas ficam cheias, é necessário que um carro vá para lá e as limpe. Com um sistema de águas negras ligado ao colector público, o problema de entupimento de fossas será definitivamente resolvido”, explicou o director-adjunto.

A Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE) encerrou no dia 28 de Fevereiro o Cristal, por apresentar várias irregularidades. Depois de resolvidos os problemas, a INAE deu ordem de reabertura no dia 3 Março. Mas, a gerência do Cristal preferiu encerar em definitivo, devido aos problemas de infiltração e estruturais do edifício.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -28-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401