O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
28 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Falta de clareza no pedido de vistos cria confusão na Embaixada da China

Falta de clareza no pedido de vistos cria confusão na Embaixada da China

Cidadãos amotinaram-se na embaixada da China em Maputo para reivindicar a não concessão de vistos

Várias pessoas amotinaram-se, na manhã hoje, na Embaixada da China em Maputo para reivindicarem a não concessão dos vistos. Os requerentes queixam-se de que mesmo cumprindo com os requisitos necessários a Embaixada chinesa recusa passar o visto.

O Conselheiro Político da embaixada da China, Zhng Xeangyan, explica que os requisitos necessários para se ter o visto são o extracto bancário, a carta convite, a reserva de hotel e a passagem aérea. Xeangyan afirma que os documentos só são recusados caso seja dectetada alguma irregularidade nos mesmos.

Xeangyan diz que a confusão pode ter sido originada pela falta de entendimento entre os funcionários e os requerentes. E apelou a todos que desejam viajar para China que se informem antes, como forma de evitar inconvenientes futuros.

À saída da nossa equipa do local, a situação estava a voltar a normalidade, os processos estavam a ser recebidos e os vistos já estavam a ser autorizados.

 


 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -28-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401