O País Online - A verdade como notícia

Sexta-feira
21 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Jornadas científicas do ISCISA reflectem sobre melhoria da gestão hospitalar no país

Jornadas científicas do ISCISA reflectem sobre melhoria da gestão hospitalar no país

Encontro de dois dias do ISCISA visa melhorar qualidade do técnico de saúde

 

O Instituto Superior de Ciências de Saúde (ISCISA) está desde hoje a realizar as XIII Jornadas Científicas, em Maputo, com as atenções viradas à formação qualitativa e quantitativa de profissionais de saúde.

O ISCISA, com 14 anos de existência, promove anualmente cada um dos seus cursos através das jornadas científicas. Para este ano, será tónica dominante a questão de recursos humanos para a gestão hospitalar nas diversas vertentes dentro de uma unidade sanitária.

O encontro de dois dias, que decorre sob o lema “ISCISA, formando Gestores Hospitalares, Tendo em vista a Garantia da Eficiência e Eficácia na Gestão de Unidades Sanitárias”, visa melhorar a qualidade do técnico de saúde formado naquela instituição nessa área.

O vice-Ministro da Saúde, Mouzinho Saíde, que presidiu a sessão de abertura, afirmou que a investigação científica, em qualquer instituição de ensino superior, é decisiva na formação dos licenciados e mestres em todas as áreas, e é um indicador de qualidade.

“O lema destas XIII jornadas científicas convida-nos a uma reflexão sobre o ponto de situação de gestão das nossas unidades sanitárias, rumo a satisfação das necessidades das populações moçambicanas.

A administração e gestão da unidade sanitária significa uma evolução dos mecanismos de estruturação da unidade sanitária, criação de condições apropriadas para a sua recepção, consultoria apropriada, formas de organização, condições de internamento, higiene e limpeza, roupa, água, plantas, entre outros aspectos”, disse Saíde.

O ISCISA, ao dedicar as jornadas científicas para o curso de administração e gestão hospitalar, pretende, segundo o vice-ministro, “despertar a importância que a área tem no serviço nacional de saúde para o garante do funcionamento normal das unidades sanitárias”, explicou.

O Ministério da Saúde (MISAU) privilegia o ISCISA e, por isso, através do memorando de entendimento tripartido, cedeu um espaço, no perímetro do hospital provincial da Matola, para a construção do seu campus universitário. O local irá abrigar para além da escola enfermarias para aulas práticas e apartamentos.

No curso de administração e gestão da unidade sanitária, o ISCISA já graduou cerca de 150 quadros superiores espalhados pelo país, sobretudo a nível distrital e rural, onde há ainda dificuldade de colocar médicos.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401