O País Online - A verdade como notícia

Domingo
23 de Julho
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Crianças vítimas de trabalho infantil em Moçambique

Crianças vítimas de trabalho infantil em Moçambique

Governo quer listar os trabalhos infantis mais perigosos com objectivo de os eliminar

 

Com base num estudo, o governo, em coordenação com a Universidade Eduardo Miondlane (UEM), quer listar os trabalhos infantis mais perigosos com objectivo de os eliminar. 

Os dados da pesquisa e o plano de realizar um levantamento dos trabalhos infantis mais perigosos foram apresentados hoje, num seminário organizado pelo Ministério do Trabalho e parceiros de cooperação.

Pretende-se listar os trabalhos infantis prejudiciais à evolução das crianças, um trabalho que passa pela auscultação de cada uma das províncias do país. O processo iniciou na Cidade de Maputo, onde a governadora, Yolanda Cintura, destaca que nem todo o trabalho infantil é mau.

"Nem todo trabalho infantil é negativo, só é negativo quando a criança é prejudicada no seu ciclo de crescimento e quando vê os seus direitos violados", reiterou Cintura.

O Ministério do Trabalho adianta algumas actividades que podem constar da lista de trabalhos prejudiciais às crianças, considerando os consensos internacionais. 

"O garimpo é um trabalho que já está classificado pelas convenções como um trabalho perigoso", afirmou Jafar Boane, director do trabalho da cidade de Maputo.

O Instituto Nacional de Estatística estima que em Moçambique mais da metade das crianças exercem funções nos sectores agrícola, pesqueiro, caça furtiva, silvicultura e comércio.

 

 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -20-07-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa401