O País Online - A verdade como notícia

Terça-feira
22 de Agosto
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Manica discute casamentos prematuros e gravidezes precoces

Manica discute casamentos prematuros e gravidezes precoces

Manica regista maior número de casamentos prematuros e gravidezes precoces no país

A província de Manica continua a registar o maior número de casamentos prematuros e gravidezes precoces em Moçambique. A informação foi revelada pela presidente do conselho directivo da Actionaid-Moçambique, Soraya Chone, durante a abertura da conferência que discute o problema no distrito de Gondola.

O encontro junta mais de 100 crianças oriundas das quatro províncias do centro do país. “O objectivo é criar espaço onde possam abordar, de forma muito clara, os casamentos prematuros e gravidezes precoces. Temos a província de Manica com muitas crianças a serem submetidas a casamentos prematuros. Isso preocupa-nos bastante. Por isso, estamos aqui reunidos para desenhar algumas estratégias onde a própria criança deve aprender a dizer não e denunciar, quando se encontra numa situação de perigo”, afirmou Soraya Chone.

Por seu turno, o representante do administrador do distrito de Gondola, João Pedro Amade, sublinhou que os casamentos prematuros e gravidezes precoces estão a desfazer o sonho de muitas crianças, que vêem o seu futuro destruído, devido a erros que são cometidos pelos adultos.

“Esta é uma oportunidade para todos reflectirmos sobre o futuro da criança. São nossos filhos que, ao invés de se dedicarem aos estudos, muito cedo caem na desgraça. Nós, como pais e encarregados de educação, devemos salvá-las. A única maneira de salvar essas crianças é nos unirmos e dizer não a estas práticas que ocorrem sobretudo nas zonas rurais”, referiu Amade.

Depois de Manica, conferências do género terão lugar nas províncias do Niassa, no norte, e Gaza, no sul. Depois seguir-se-á a conferência nacional, que terá lugar na província de Nampula.


 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-08-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa411